Super banner
Super banner

Profissionais da Educação reivindicam melhores salários e plano de carreira

Profissionais da Educação reivindicam melhores salários e plano de carreira

Foto: Caio Aureliano

Da Redação/Caio Aureliano – Os profissionais da rede municipal de ensino promoveram uma paralisação nesta terça-feira (23) e se concentraram em frente a Igreja Matriz de São Domingos. Os professores reivindicaram o cumprimento do piso nacional da classe e valorização da categoria por parte do poder municipal. Com cartazes e com um “apitaço”, a classe demonstrou, de maneira pacífica, a indignação com o salário de R$ 987, valor abaixo do que é estipulado a nível nacional que é R$ 1.567 para uma carga horária de até 25 horas semanais. Segundo a Polícia Militar, mais de 150 profissionais estiveram na paralisação.

A paralisação ganhou a adesão do Sindicato dos Servidores Municipais de Araxá e Região (Sinplalto). As escolas da rede municipal de ensino não tiveram aulas nesta terça. A decisão de realizar esse movimento foi tomada às 11h de ontem (22) e o Ministério Público e a secretária da Educação receberam comunicados por parte do Sinplalto dessa paralisação no dia de hoje.

De acordo com o presidente do Sinplalto, Hely Aires, a paralisação dos professores da rede pública de ensino é um momento histórico para Araxá. “Nós temos servidores aqui que estão gastando R$ 230 com vale transporte e isso não podemos aceitar. A Prefeitura tem que conceder o vale transporte ou um meio de locomoção para esses servidores. Temos mães de família que estão trabalhando extraclasse sábado e domingo para cuidar dos seus afazeres na educação, então, a reclamação é geral”, diz o presidente.

Presidente do Sinplalto / Foto: Caio Aureliano

Hely conta que, não é apenas o piso local desagrada, mas também a falta de valorização e reconhecimento por parte do poder público. “Nós queremos o reconhecimento desses servidores. Vamos reivindicar a data-base. É claro que existe um Plano de Carreira da Educação separado, existe um Piso Nacional. A saúde está partindo para esse momento. Isso é só um chamamento para que o servidor para que busque o seu direito”, coloca Hely.

O presidente aponta que atualmente, existem serviçais que ganham mais do que professores adjuntos. “Nós não podemos também aceitar isso de forma alguma. Vamos agir com responsabilidade, primeiro em virtude de pais e alunos com essa situação. Vamos agora realizar uma assembleia na parte da manhã. Vamos partir para o consenso. Queremos que a comissão instituída para a Data-Base seja a mesma comissão que vai levar essas reivindicações para a mesa de negociação e a gente chegue a um denominador comum”.

Durante a paralisação, foi decidido que os professores, juntamente com o Sindicato, irão à Câmara Municipal hoje (23), a partir das 14h, para sensibilizar também os vereadores.

“Nós estamos, infelizmente, desvalorizados. A gente sabe que sem professor, não haveria médico, advogado e praticamente profissão nenhuma. A gente quer é reconhecimento da nossa profissão e respeito aos nossos direitos”, afirma a servidora Marli Luiza Pacheco Silva.

Foto: Caio Aureliano

“Acho justo esse movimento. Estamos desvalorizados quanto a questão do salário, perdemos professores de educação física que era um ganho para as nossas crianças e nosso Plano de Carreira que não funcionou”, argumenta a servidora Josenice dos Santos do Nascimento.

Secretaria de Educação

O Diário de Araxá tentou entrar em contato com a secretária municipal de Educação, Maria Célia Araújo Oliveira, mas ela não foi encontrada até o fechamento desta reportagem. 

Notícias relacionadas