Reunião da Câmara é marcada por protestos nas áreas de educação e habitação

Reunião da Câmara é marcada por protestos nas áreas de educação e habitação
Foto: Diário de Araxá

Os setores de educação e moradia popular foram temas de protestos promovidos durante a reunião ordinária da Câmara Municipal de Araxá na tarde desta terça-feira (14).

Vereadores aproveitaram a lotação do plenário para pronunciamentos inflamados na tribuna e até posaram para fotos com os manifestantes, com vistas para as eleições que começam em 16 de agosto e visibilidade em redes sociais, e outros foram mais objetivos para buscar soluções juntos ao Poder Executivo.

protestos01_corpo_140616
Foto: Diário de Araxá

Na educação, pais de alunos da Escola Municipal Alice Moura cobravam da prefeitura uma definição quanto à mudança da instituição das instalações do Sesc Araxá – que não tem interesse em renovar o contrato e vai utilizar do espaço para a implantação de uma escola própria – para um local com estrutura semelhante ou até mesmo a construção de uma nova escola. A instituição atende cerca de 500 alunos.

A outra manifestação na educação foi promovida por uma equipe da creche do Lar Santa Terezinha, que cobra recursos públicos para que a unidade mantenha o seu atendimento. A entidade também busca ajuda na iniciativa privada.

Na área da habitação popular, beneficiários das casas do loteamento Pão de Açúcar 4 (Minha Casa, Minha Vida) reivindicavam a entrega das unidades. Inicialmente, o atraso foi justificado pela falta da ligação de água e luz no empreendimento e a entrega estava prevista para julho.

Mas, de acordo com o assessor de Habitação da Secretaria Municipal de Ação e Promoção Social, Vergilio José da Silva Júnior, que esteve na Câmara, houve uma reprogramação do Ministério das Cidades e ainda não foi repassada uma nova data para a entrega das casas.

“O prefeito Aracely de Paula está reivindicando em Brasília para que esta data seja definida e as casas sejam entregues. O empreendimento já está pronto, 100% concluído, e só estamos aguardando essa definição por parte do Governo Federal”, afirma.

O presidente da Câmara, Carlos Roberto Rosa, disse que o Legislativo vai trabalhar junto ao Executivo em busca de soluções para as demandas apresentadas pelos manifestantes.

Em nota, a Assessoria de Comunicação da Prefeitura de Araxá informa que “o prefeito Aracely de Paula autorizou a realização dos levantamentos necessários para que seja determinada uma área institucional onde será construída a sede própria da Escola Municipal Alice Moura até fevereiro de 2017, antes do início das aulas.”

Diz ainda que “se acontecer algum imprevisto referente à construção da sede da Escola Municipal Alice Moura, a Prefeitura de Araxá alugará um espaço para abrigar alunos, professores e toda a comunidade escolar até que a obra seja concluída.”

Fotos: Diário de Araxá

Notícias relacionadas

Deixe um comentário: