Verão em Minas deve ter temperaturas acima da média histórica

Verão em Minas deve ter temperaturas acima da média histórica

A partir deste domingo (21), às 21h03, tem início no Brasil a estação mais quente do ano, o verão, que marca o ápice do período chuvoso em boa parte do país. De acordo com o meteorologista Arthur Chaves, da Companhia Energética de Minas Gerais (Cemig), em dezembro e janeiro normalmente ocorrem chuvas mais constantes e volumosas, causadas, principalmente, pela convergência de umidade proveniente da Amazônia e do Oceano Atlântico.

A próxima temporada do verão será influenciada pelo fenômeno El Niño, já que as temperaturas do Oceano Pacífico se encontram acima da média na região equatorial. Esse fator deve contribuir para que as temperaturas fiquem acima da média histórica em grande parte de Minas Gerais.

Segundo o meteorologista, outras características marcantes dessa estação são a duração dos dias, que se tornam mais longos, e a ocorrência de veranicos, longos períodos sem chuvas, muito provavelmente em janeiro e fevereiro.

“Em dezembro, as chuvas deverão ficar ligeiramente abaixo da média esperada para o mês no Sul de Minas, Triângulo e Oeste. Já nas outras regiões, as chuvas deverão ficar próximas da média histórica. Para janeiro, a previsão é que as chuvas fiquem dentro da normalidade no Sul de Minas, Leste e Zona da Mata e levemente abaixo da média histórica no restante do Estado”, destaca Chaves.

Em fevereiro, apenas no Oeste, Triângulo e região Central são esperadas chuvas dentro da média histórica, enquanto que no restante do Estado as chuvas devem ficar acima da média. Fechando a estação, em março, são esperadas chuvas abaixo da média nas regiões Oeste e Central, acima da média histórica no Norte de Minas e dentro da média no restante do Estado.

“Durante todo o verão, são esperados os maiores acumulados de chuva nas regiões Sul de Minas, Leste e Zona da Mata”, afirma o meteorologista.

Influência do El Niño

Segundo a Cemig, o El Niño vai ser uma influência significativa na temperatura e esse verão será levemente mais quente do que o habitual. O meteorologista ressalta que as temperaturas acima da média devem ocorrer nas regiões Central e Oeste. No restante do Estado, devido às chuvas, as temperaturas devem ficar abaixo da média no Sul de Minas, Leste e Zona da Mata, enquanto que no Triângulo e Norte de Minas ficarão na média histórica.

“O mês mais quente da estação, quando comparado com sua média, será janeiro, enquanto que os mais amenos serão dezembro e fevereiro. O Oeste será a região que tende a ficar com as temperaturas acima da média com maior frequência, principalmente em janeiro”, explica.

Bandeiras tarifárias

Nessa estação, entrará em vigor em todo o Brasil, a partir de janeiro de 2015, um novo sistema de tarifas de energia denominado “bandeiras tarifárias”.

As bandeiras tarifárias pretendem adaptar de maneira dinâmica esses custos extras de curto prazo na geração de energia à tarifa dos consumidores. Ou seja, as oscilações dos preços ocasionadas pelas variações hidrológicas e a maior utilização das usinas termelétricas serão sinalizadas ao consumidor conforme cada período.

De acordo com o gerente de Gestão e Controle do Faturamento de Energia Elétrica da Cemig, Mauro Marinho Campos, “as bandeiras tarifárias serão três, como um semáforo, representadas pelas cores verde, amarela e vermelha. A bandeira verde sinaliza condições favoráveis de geração de energia. Portanto, a tarifa não sofrerá nenhum acréscimo. Por sua vez, a bandeira amarela indica um sinal de atenção, pois as condições de geração são menos favoráveis (algumas termelétricas operando). A tarifa sofre acréscimo de R$ 0,015 para cada quilowatt-hora (kWh) consumido”, explica.

Por fim, a bandeira vermelha sinaliza que a oferta de energia para atender a demanda dos consumidores ocorre com maiores custos de geração (muitas termelétricas operando). A tarifa sobre acréscimo de R$ 0,030 para cada kWh consumido.

Desde junho do ano passado, a Cemig avisa ao consumidor, por meio da Conta de Energia Elétrica, a bandeira tarifária que estaria em vigor no mês. Isso se deu em caráter de teste, com o objetivo de facilitar a compreensão do consumidor sobre esse novo sistema. Vale ressaltar que na Conta de Energia Elétrica não haverá nenhuma imagem de bandeira sinalizando a cor da tarifa vigente, mas será destacado, no campo “Valores Faturados”, o custo adicional relativo à aplicação da bandeira tarifária vigente no período.

Economia de energia

Alguns hábitos simples e que podem ser adotados sem perda do conforto no verão e podem atenuar o aumento do consumo. Além de reduzir a conta de energia no fim do mês, a população pode ajudar o país a recuperar de um ano em condições hidrológicas desfavoráveis.

Uma das principais medidas é a chave de temperatura do chuveiro para o verão, nesta época do ano. O chuveiro é um dos equipamentos que mais consome energia, devido à sua potência – que é muito alta. Mudando o seletor de temperatura da posição “inverno” para a posição “verão” a potência é reduzida em 30%, proporcionando uma redução no consumo ao final do mês de até 10%.

Essas e outras medidas são importantes para o consumo consciente da energia no Brasil. Seguindo essa tendência, o Programa Energia Inteligente da Cemig é focado na eficiência energética e promoção de iniciativas voltadas para uso consciente e eficaz da energia elétrica.

Notícias relacionadas