Blitz de fiscalização do Crea-MG vai percorrer cerca de 60 obras em Araxá

Blitz de fiscalização do Crea-MG vai percorrer cerca de 60 obras em Araxá
Foto: JM Online / Divulgação

Uma equipe formada por quatro fiscais do Conselho Regional de Engenharia e Agronomia de Minas Gerais (Crea-MG) iniciou ontem, 28 de agosto, uma blitz de fiscalização em Araxá. A ação, que será realizada até o dia 30 de agosto, vai averiguar a regularidade em cerca de 60 empresas e obras da construção civil.

O principal objetivo da blitz é verificar a presença de profissionais habilitados nos serviços de engenharia, agronomia e geociências, assim como a Anotação de Responsabilidade Técnica (ART). Segundo o inspetor-chefe do Crea-MG em Araxá, engenheiro civil e de segurança do trabalho Helver Martins Gomes,a fiscalização é indispensável para a proteção da sociedade. “É necessário assegurar que as obras são conduzidas por um profissional devidamente habilitado, capaz de realizar trabalhos com aplicação das melhores técnicas”, afirma.

Iniciadas no ano passado, as blitze se caracterizam por serem uma ação concentrada, em local e duração, e mais ágeis, por contarem com um maior número de fiscais. Segundo o gerente de Fiscalização, engenheiro eletricista Nicolau Neder, elas reforçam as fiscalizações de rotina do Conselho. “As blitze mostram resultados extremamente eficazes na identificação de irregularidades, o que nos possibilita atuar para evitar que atividades da engenharia sejam executadas por uma pessoa inabilitada, causando risco à sociedade”, afirma o gerente. 

Balanço

No primeiro semestre de 2019, foram realizadas 29 blitze em todas as regiões do estado, com um total de mais de 4 mil ações de fiscalização entre obras, empresas, contratos, quadro técnico e crédito rural. A fiscalização do Conselho é focada no exercício profissional da engenharia, agronomia, geologia, geografia e meteorologia, conforme prevê a Lei Federal 5.194/1966.

Notícias relacionadas

2 Comentários

  1. Marcos Paes

    CREA só fiscaliza quando precisa dar um reforço no seu próprio caixa,se a fiscalização fosse feita de verdade pelo CREA, não tinha tanta obra irregular no país, não tinha tanto picareta fazendo concorrência desleal com o profissional que investiu para se qualificar. O CREA não dá respaldo aos seu filiados,apenas arrecada sobre esses profissionais,aí quando a água bate na bunda resolve fiscalizar e sai multando todo mundo, lamentável.

    Responder
  2. Claudia

    Só que se tem algum documento que precisa ser tirado ou apresentado, tinha que ser dado um prazo de pelo menos 7 dias pra apresentação do documento, porque tem coisas que a gente nem imagina que é preciso.

    Responder

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *