Super banner
Super banner

Capal e Educampo iniciam projeto para certificação de propriedades

Capal e Educampo iniciam projeto para certificação de propriedades

Onze propriedades serão certificadas através do projeto - Divulgação

Cooperativa Agropecuária de Araxá (Capal) e o Educampo deram início ao projeto para certificação socioambiental de 11 propriedades da região. A coordenadora do Grupo Rainforest Alliance de Araxá (Grax-Capal), Vânia Schiara, e a coordenadora do Educampo/Capal, Ana Maria Fravet, visitaram duas propriedades certificadas pela Rede de Agricultura Sustentável (RAS) para trazer aos produtores diversas melhorias em seus processos de produção de café e em relação à agricultura.

O objetivo é promover a conservação ambiental, o desenvolvimento econômico da propriedade e a melhoria na qualidade de vida dos trabalhadores e dos produtores rurais, estimulando a produção responsável.

No Brasil, a certificação RAS é concedida pelo Instituto de Manejo e Certificação Florestal e Agrícola (Imaflora), uma organização, sem fins lucrativos, que trabalha desde 1995 para promover mudanças positivas nos setores florestal e agrícola.

A entidade avalia propriedades agrícolas de grande, médio ou pequeno porte, como empresas, comunidades tradicionais, assentamentos e grupos de pequenos produtores. O processo de certificação pode ser realizado individualmente ou em grupo (associações, cooperativas ou grupos independentes).

De forma geral, a certificação é um estímulo para os produtores que querem produzir de forma responsável, ambiental e socialmente, uma vez que agrega valor ao produto certificado. As propriedades agrícolas que cumprem os critérios da RAS recebem o selo de aprovação Rainforest Alliance Certified™.

Desde 1992, mais de 600 certificados para mais de 60 mil empreendimentos – incluindo pequenas propriedades agrícolas familiares e grupos, assim como plantações – em 25 países cumpriram as normas da RAS em mais de 500 mil há, para 22 tipos de cultivo: café, cacau, banana, chá, abacaxi, flores e folhagens, assim como cítricos.

A RAS promove os sistemas produtivos agropecuários, a conservação da biodiversidade e o desenvolvimento humano sustentável, mediante a criação de normas sociais e ambientais, além de estimular melhores práticas para o setor agropecuário, incentivando os produtores para que cumpram as suas normas, e encoraja os comerciantes e consumidores a apoiar a sustentabilidade.

De acordo com Vânia Schiara, as propriedades inscritas no projeto poderão atender 10 princípios da norma Rainforest Alliance. “Após as propriedades atenderem todos os requisitos críticos e totalizar 80% de cumprimento dos critérios da norma, a propriedade está apta a receber o selo. Estamos iniciando o trabalho. Após o cadastro na Imaflora, temos um prazo de adequação à norma de 12 meses para receber a auditoria de certificação. A meta de certificação do Grax – Capal é receber o selo até março de 2013.”

Segundo Vânia, a Capal também terá que se adequar às normas da Rainforest Alliance. “A Unidade Armazém da Capal é a administradora do grupo e assim também deve atender para os requisitos de aprovação de cadeia de custódia, ou seja, todas as operações que produzem, recebem, processam, armazenam, manejam e distribuem produtos agrícolas que devem ter certificados Rainforest Alliance Certified. O processo beneficiará tanto a cooperativa como os produtores, que terão acesso a novos mercados; adequação ambiental; diminuição do risco de multas trabalhistas e ambientais; redução de custos; melhor gestão financeira, operacional e principalmente das pessoas”, explica.

Notícias relacionadas