Super banner
Super banner

Comercialização do queijo mineiro é liberada para todo o país

Comercialização do queijo mineiro é liberada para todo o país

Queijo Minas Araxá

Em Araxá foi realizada solenidade na fazenda do produtor Alexandre Honorato que recebeu o primeiro registro do Sistema Brasileiro de Inspeção de Produtos de Origem Animal (Sisbi) nesta sexta-feira (9), por intermédio do governo do Estado.

Com este registro, a fazenda de Alexandre Honorato se tornou a primeira queijaria individual de Queijo Minas Artesanal, seguindo os critérios da Portaria 1.305, de 30 de abril de 2013, que permite que o produto saia dos centros de qualidade diretamente para a mesa do consumidor brasileiro.

Clientes de Paraná, São Paulo e Rio de Janeiro já demonstraram em comercializar o queijo minas artesanal.

Foi assinado recentemente pelos governos federal e estadual a modificação na instrução normativa que define as regras para a fabricação do queijo artesanal.

O fato de ser produzido com leite cru, não pasteurizado – da forma como são produzidos os queijos franceses –, limitava a comercialização do queijo artesanal mineiro fora das fronteiras do estado, em virtude das exigências das normas sanitárias federais. Por conta dessa legislação, a comercialização do queijo mineiro sempre se apresentou como um entrave à elevação de renda do produtor rural.

Com a publicação do ato, o produtor mineiro desse tipo de queijo, maturado em período inferior a 60 dias, poderá comercializar seu produto por todo o país.

A nova instrução normativa vem adequar-se aos critérios e ações já adotados em Minas para incentivar a expansão comercial do queijo nacionalmente, sem abrir mão das normas de qualidade. 

Notícias relacionadas