Super banner
Super banner

Comtur e parceiros querem Água Araxá em todos os pontos da cidade

Comtur e parceiros querem Água Araxá em todos os pontos da cidade

Eduardo Tannús (dir.) com os vereadores Sargento Amilton e presidente Miguel Júnior durante o debate - Ascom Câmara

O primeiro Fórum Comunitário da Câmara Municipal desta segunda-feira (5) debateu sobre os entraves que dificultam a comercialização da Água Mineral Araxá. A audiência foi solicitada pelo Conselho Municipal de Turismo (Comtur) que também contou com apoio da Associação Comercial e Industrial (Acia), Câmara da Mulher Empreendedora da Acia e Sindicato do Comércio de Araxá (SindiComércio) nesta iniciativa. Participaram ainda representantes da Secretaria Municipal de Desenvolvimento Econômico, Turismo e Parcerias.

Entretanto, o Fórum Comunitário não contou com a presença de representante da empresa Águas Minerais de Minas, subsidiária da Companhia de Saneamento de Minas Gerais (Copasa), responsável pelo envase e distribuição da água e seria a parte principal do debate, fato que foi lamentado pela maioria dos vereadores e participantes.

Abrindo o debate, o presidente do Comtur, Eduardo Tannús, relatou que o produto é muito cobrado pelos turistas que visitam Araxá e dificilmente é encontrado na cidade. Acrescentou que houve uma luta muito grande de vários anos para que a água mineral voltasse a entrar em operação na Estância Hidromineral do Barreiro.

Audiência que debateu sobre a comercialização local da Água Mineral Araxá - Ascom Câmara

Ainda de acordo Eduardo Tannús, pouco depois que fez a solicitação do Fórum Comunitário à Câmara (há pouco mais de um mês), ele esteve com representantes das Águas Minerais de Minas que relataram não entender o motivo de a água mineral da cidade não deslanchar no mercado local, inclusive disseram que a questão de preço não seria dificuldade para que o produto seja encontrado em todos os lugares da cidade.

Outra questão levantada e comentada pelos vereadores foi quanto à concorrência com uma grande distribuidora de bebidas que acaba inviabilizando o comércio local adquirir a água mineral da cidade por ofertar outra água mineral por meio de venda casada com outras bebidas de sua linha de produção e facilidade em disponibilizar equipamentos e móveis para bares e restaurantes.

Também foram sugeridos que a comercialização da água em Araxá deve ser tratada de uma maneira juridicamente adequada, que a demandas podem ser levadas a conhecimento do Ministério Público e da importância da resolutividade para que o produto seja realmente um potencial turístico local.

Já representantes do segmento empresarial defenderam um melhor planejamento englobando estratégias de divulgação e marketing para que a Água Mineral Araxá tenha merecido destaque na cidade, mas que esta iniciativa deve envolver não só a empresa engarrafadora como também os segmentos políticos, comerciais e empresariais.

Ao final da audiência, o presidente da Câmara, Miguel Júnior (PMDB), relatou que a Câmara irá agendar uma audiência junto à diretoria da Copasa em Belo Horizonte, com apoio da Companhia de Desenvolvimento Econômico (Codemig) e o deputado estadual Bosco (PTdoB), para que as demandas sejam apresentadas em busca de soluções. Esta visita será feita por uma comissão composta por vereadores, Acia e SindiComércio e representantes do Poder Executivo que estejam interessados.

Presenças

– Presidente do Conselho Municipal de Turismo (Comtur), Eduardo Tannús.

– Presidente da Associação Comercial (Acia), Márcio Farid.

– Representantes do Sindicato do Comércio (SindiComércio), Emílio Neumann (presidente) e Antônio Ferreira Barbosa (1º secretário).

– Representante da Câmara da Mulher Empreendedora da Acia, Valéria Santos Sena de Olivera (2ª vice-presidente).

– Representantes da Secretaria Municipal de Desenvolvimento Econômico, Turismo e Parcerias, Mauro Marcos da Rocha Júnior e Neli Alves de Ávila.

Notícias relacionadas