Super banner
Super banner

Cooperação entre PMA e Cefet busca implantação do Parque Tecnológico

Cooperação entre PMA e Cefet busca implantação do Parque Tecnológico

Jeová e Alda Sandra na Espanha - Divulgação

Uma missão internacional liderada pelo prefeito Jeová Moreira da Costa busca subsídios e faz contatos empresariais na Espanha e na China para a implantação de um parque tecnológico em Araxá. O grupo chegou a Madri nesta quinta-feira (11), de onde seguiu para Valladolid  e, no domingo (15), embarcam para Pequim.

Também participam da missão, o secretário municipal de Assuntos Jurídicos, André Sampaio, o diretor-geral do Centro Federal de Educação Tecnológica de Minas Gerais (Cefet-MG), Márcio Silva Basílio, e o responsável pela área de pesquisa, Patterson Patrício de Souza, a presidente do Conselho Superior da Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL) de Araxá, Alda Sandra Barbosa Marques, o secretário municipal de Desenvolvimento Econômico e Comércio Exterior de Betim, Alex Ribeiro, e o adjunto Antônio Vitor, e a jornalista Ana Paula Machado Kikuchi.

“Desde o momento que o destino me levou em direção à vida pública, a gente entendeu que deveríamos fortalecer os eixos estruturantes que levam à qualidade de vida para uma população”, diz Jeová. Ele acrescenta que, dentro dessa visão, um dos eixos é o desenvolvimento econômico.

“Realmente, a viabilidade econômica das pessoas, das empresas, cidades, Estados e país. Desde que a gente assumiu essa responsabilidade em 2009, começamos a direcionar todas as nossas ações, inteligência e força em direção desse objetivo maior”, afirma.

“E hoje, estamos aqui nessa missão, num projeto iniciado em 2011, com a grata satisfação de ter a confiança de 42% da população de Araxá, e trabalhando para ganhar o respeito dos demais 58%, para estarmos todos juntos na implantação do parque tecnológico”, acrescenta.

Ele destaca que Araxá é a única cidade do Brasil que faz parte da economia mundial com reservas de fosfato, nióbio e terras-raras. O prefeito aproveita a viagem para observar os conceitos de paisagem urbana, como os de Madri, onde simplicidade e praticidade estão em harmonia com o suntuoso patrimônio histórico e cultural.

Um estilo de preservação do patrimônio que conserva as fachadas e algumas características do interior dos imóveis que são passíveis de aproveitamento, como o madeiramento. Segundo ele, o que tem visto em Madri inspira a restauração e reforma do antigo hotel situado no complexo do Barreiro transformado no Instituto Colombo, sede administrativa da Cidade Tecnológica, sendo um dos principais exemplares da art dècor no país.

“O que me encanta é ver a inteligência do homem trabalhando em prol do benefício coletivo. O próprio hotel em que estamos hospedados é uma construção antiga, mas sofreu a reavaliação obedecendo a parte cultural. A gente vê a beleza da simplicidade se impondo dentro da parte operacional, das necessidades básicas do ser humano. As fachadas históricas preservadas e os interiores adaptados à vida moderna e com o intuito comum, priorizando o bem estar das pessoas e o turismo”, afirma.

O prefeito também chama a atenção para os pontos de recolhimento de materiais recicláveis dispostos em várias esquinas do Centro de Madri e outros equipamentos urbanos, como as lixeiras, floreiras, os objetos de concreto que além de servirem de bancos podem estar separando os veículos das calçadas, porque tudo está no mesmo nível da via para facilitar a acessibilidade, assim como a sinalização vertical e horizontal.

Segundo ele, existe uma interação e respeito entre as pessoas, o comércio e os motoristas de veículos no Centro de Madri. “Eu vejo as ruas no mesmo nível, se interagindo pessoas e veículos de maneira muito harmoniosa. O que estamos desenhando para Araxá através do calçadão da rua Olegário Maciel e da revitalização da avenida Antônio Carlos. Ainda temos muito o que aprender aqui,onde vemos obras bem estruturadas e bem acabadas, no sentido de pouca manutenção. O aprendizado é muito grande para todas as pessoas que estão compondo essa equipe nesse projeto de trabalho da missão de Araxá e do Cefet”, diz.

“A minha participação é justamente por estar acompanhando o projeto Cidade Tecnológica desde o início. E de qualquer forma, eu estarei dentro do projeto porque tem uma entidade ligada aos parques tecnológicos de Minas Gerais que posso vir a ser a sua presidente”, explica Alda Sandra. Até fevereiro passado, ela coordenou o projeto como secretária municipal de Desenvolvimento Econômico, Turismo e Parcerias.

E como empresária e presidente do Conselho Superior da CDL, Alda Sandra continua a participar da iniciativa. “É um investimento que a gente faz nesse aprendizado e no acompanhamento desse projeto que é um grande ganho para a cidade”, ressalta. Para ela, todo o roteiro da viagem é importante, mas destaca a negociação já iniciada no Parque Tecnológico de Valladolid, no ano passado. “Das empresas de energia limpa que a gente gostaria de levar para Araxá, essa já seria um grande avanço dentro do nosso projeto”, adianta.

Cefet-MG

Basílio, Jeová a Alda Sandra - Divulgação

O diretor-geral do Cefet-MG explica que foi procurado pelo prefeito de Araxá e equipe em 2011. “O doutor Jeová nos apresentou uma proposta que nos pareceu num primeiro momento muito interessante, que é a implantação da cidade tecnológica no município de Araxá, na área de mineração, principalmente nióbio e terras-raras”, diz.

Basílio acrescenta que o Cefet-MG tem uma unidade em Araxá com um curso técnico e um de graduação na área de mineração, contando com uma equipe de professores capacitados. “O que é uma característica do Cefet como uma instituição de ensino superior, dar condições aos seus professores de se capacitarem e, então, a maioria hoje da unidade de Araxá é de doutores ou está com o doutorado em processo de finalização. E é muito importante para a instituição que tenha para onde caminhar em relação a sua atividade de pesquisa”, afirma.

Segundo Márcio, como instituição de ensino superior, o Cefet-MG faz pesquisa e extensão. “E na parte de pesquisa, a gente precisa de temas, laboratórios bem montados e, obviamente, dos pesquisadores que ficam ao nosso cargo. Então, a proposta do Dr. Jeová veio ao encontro da nossa necessidade, precisávamos criar temas e condições de pesquisas numa área de interesse e, o nióbio, é estratégico e interessante dentro do que o Cefet faz. Prontamente, ele nos chamou a atenção e concordamos que a parceria entre Cefet e prefeitura seria fundamental”, esclarece.

Márcio informa que desde 2011 já houve várias conversas e rodadas de negociação visando a implantação da Cidade Tecnológica de Araxá. “Já participamos de uma visita internacional aos EUA, porque o nosso objetivo agora é entender o funcionamento dos parques. E particularmente, no caso do Cefet, como se pode dar de maneira mais efetiva essa relação entre uma instituição de ensino e de pesquisa com o parque tecnológico e a prefeitura. A gente pegando as experiências de parques tecnológicos que já funcionam pelo mundo consegue cortar caminho, não inventar a roda e otimizar ao máximo essa parceria para que os resultados sejam dentro do esperado”, destaca.

Notícias relacionadas