Super banner
Super banner

Empossada a nova diretoria da Academia Araxaense de Letras

Empossada a nova diretoria da Academia Araxaense de Letras

 Academia Araxaense de Letras 2012/2014 - Foto: Alair Barbosa

Por Catia Maria Lemos Melo Zema – No sábado passado (12), às 20h, tomou posse a nova diretoria da Academia Araxaense de Letras (AAL) eleita para o biênio 2012/2014 – presidente, Catia Maria Lemos Melo Zema; vice-presidente, Márcio Antônio de Paula Duarte;  primeira-secretária, Vilma Terezinha Cunha Duarte; segunda-secretária, Carolina Angélica de Oliveira Passos; primeiro tesoureiro e diretor social, Fernando Braga de Araújo; segunda-tesoureira, Cecília Beatriz Porfírio Pereira Rosa; primeiro-bibliotecário, Jayro Alves Ribeiro; segunda-bilbiotecária, Ana Paula Machado kikuchi; editor do Jornal Letras, Tarcísio Cardoso; assessor jurídico, Agnelo Borges Guimarães.

Neoacadêmicos

Na oportunidade, tomaram posse como novos acadêmicos, Maria de Lourdes Bittencourt de Vasconcellos, Olavo Drummond Filho e Sílvio Lúcio Camarota.

Figuras ilustres que vêm enriquecer o sodalício, marcando, não somente a história da Academia Araxaense de Letras, mas, essencialmente, a história da cultura de nossa terra.

A solenidade, além de ser muito prestigiada, ainda contou com Annette Akel como cerimonialista.

Toda posse nas Academias de Letras, além do reconhecimento pelos seus novos pares, da alta capacitação intelectual, literária e científica dos imortais que ingressa, representa também a garantia do prosseguimento dos estudos sobre os antigos ocupantes da cadeira.

Por que imortal?

Cada vez que um novo acadêmico ingressa, é porque uma cadeira foi deixada vaga.

Neste aspecto se insere a qualidade da imortalidade acadêmica, todos aqueles que por aqui passaram são continuamente lembrados por seus sucessores, por seus feitos, por todas suas obras, numa constante reavaliação estética, social, política e moral, dentro dos respectivos tempos históricos.

Com o ingresso de novos acadêmicos, a perseverança da imortalidade através da lembrança daqueles que deram seus nomes ao patronato, à fundação e à efetividade das sucessivas ocupações em épocas diversas.

Esta, enfim, é a grande expressão do ato de diplomação dos novos acadêmicos, é o momento da renovação acadêmica, que justifica a existência da instituição.

Notícias relacionadas