Super banner
Super banner

Farah diz que PT não negocia participação no governo Jeová para 2013

Farah diz que PT não negocia participação no governo Jeová para 2013

Farah Araxá

Da Redação Após oito anos sem representatividade política na Câmara Municipal, o Partido dos Trabalhadores (PT) conseguiu emplacar Fárley Cabeleireiro (829 votos) e Marcílio da Prefeitura (754 votos) nas eleições proporcionais para o pleito 2013/2016. Desde a confirmação deste resultado, o partido da estrela vermelha vem promovendo reuniões com o objetivo de definir as melhores estratégias relacionadas ao ano que vem no legislativo.

De acordo com o presidente do diretório municipal do PT, Rogério Farah, o partido saiu muito bem e fortalecido nessas eleições. “Tivemos um aumento de representatividade na Câmara Municipal de 200% partindo do pressuposto que não tínhamos representação de vereadores eleitos nas duas últimas legislaturas e a partir de 2013 teremos dois vereadores; Marcílio de Faria (Marcílio da Prefeitura) e Fárley Aquino (Fárley Cabeleireiro). Para nós, é motivo de imenso orgulho saber que o povo de Araxá contará com dois representantes vereadores sintonizados com as diretrizes estatutárias do PT a seu dispor na Câmara Municipal”, disse o presidente Farah.

Farah colocou que a atuação dois vereadores do PT em Araxá está sintonizada com as diretrizes do partido a níveis nacional e estadual. “A bancada petista trabalha como todos os seus diretórios sintonizados com a vontade da maioria. Então, naquilo que represente o benefício da população, os dois vereadores estarão juntos votando naquele sentido. A vontade pessoal de cada um deles se coloca abaixo da vontade da maioria. À medida que chegamos a um consenso, um assunto vai a plenária discutido e aprovado, aquilo passa ser vontade do grupo inteiro”, destacou.

Em relação ao Fárley Cabeleireiro fazer parte do bloco independente e Marcílio da Prefeitura estar fora dele, o presidente Farah ressaltou que o diretório encara essa situação com naturalidade. “O diretório municipal do PT de Araxá até o presente momento não fechou questão, liberou os seus vereadores eleitos possam conversar e se organizar, chamou uma reunião de executiva na segunda-feira passada (10) e determinou que os dois atuem em unidade, ou seja, a bancada esteja unida nessa ou naquela direção. Não apontamos dentro da comissão executiva do PT a direção a ser seguida porque entendemos que a vontade do parlamentar tem que ser respeitada”.

Ele ainda não descartou a possibilidade do partido lançar candidatura para a presidência da Câmara Municipal. “A bancada estará unida neste ou naquele ou até eventualmente propondo candidatura própria também a presidência da Câmara Municipal de Araxá. É uma alternativa que não pode ser descartada no momento. Até que prove o contrário, os reeleitos e os eleitos pela primeira vez podem representar candidatura a presidência que também não deixa de ser uma alternativa para o PT. O diretório municipal não vai intervir nessa questão, mas espera de consenso, exista o posicionamento conjunto dos dois em favor de algum candidato ou deles próprios”.

Farah contou que na terça-feira, 11, em outra reunião, os dois vereadores apresentaram uma proposta homologada e recebida pelo diretório municipal para Fárley ser o líder da bancada petista no primeiro ano de atuação do PT no legislativo. “O vereador Fárley será o líder da bancada petista recebendo Marcílio, a vice-liderança no sistema de rodízio onde que em um primeiro momento Fárley responderá pelo partido na Câmara. Nós temos a certeza tanto Marcílio quanto o Fárley tem condições de executar essas lideranças, pois, não estarão sozinhos. O diretório municipal estará dando apoio logístico a eles”, comentou o presidente.

Secretaria no governo Jeová

Questionado sobre a possibilidade do PT estar negociando uma secretaria no governo Jeová Moreira da Costa a partir de 2013, Farah nega. “Não houve até agora qualquer convite. O PT esteve reunido com o prefeito Jeová na primeira semana, após as eleições, chamado por ele, e fizemos questão de parabenizá-lo pelas eleições, passados 60 dias não houve mais contato. O que há é a expectativa que o PT pode compor o governo, pode ser importante, mas isso não foi formalizado, não existe nada”, esclareceu o presidente do diretório municipal.

“Se é um convite para compor governo, nós entenderemos como auxiliares do governante (Jeová) para governar. Composição de cargos não faz parte da nossa diretriz partidária. Nós não negociamos apoio de governo em trocar de cargos, isso em nenhum plano seja estadual, municipal ou federal. Se for para compor governo, temos bons quadros dentro do município que podem colaborar com a administração municipal”, acrescenta.

Notícias relacionadas