Super banner
Super banner

Mérito Empresarial é um dos destaques do Congresso da Federaminas

Mérito Empresarial é um dos destaques do Congresso da Federaminas

Antônio Nogueira, José Leopoldo Jorge Akel, Márcio Farid e Valda Sánchez - Divulgação

DA REDAÇÃO/VIA ACIA – Um dos momentos mais especiais do 15º Congresso das Associações Comerciais e Empresariais de Minas Gerais é o Mérito Empresarial. O evento que acontece na próxima sexta-feira (9) aguarda 1,3 mil pessoas de todas as regiões mineiras, entre autoridades, homenageados e convidados, no Tauá Grande Hotel de Araxá.

O Mérito Empresarial 2012 vai homenagear cerca de 100 empresários de diferentes cidades mineiras que são indicados pelas associações comerciais e empresariais, além, de lideranças e outros destaques.

A Associação Comercial e Industrial de Araxá (Acia) indicou o comerciante José Leopoldo Jorge Akel, proprietário das Casas São Jorge, como Empresário do Ano.

Inaugurada em 1931 por Jorge Akel e Abrão José Bittar, pai e tio de José Akel, as Casas São Jorge é uma das mais importantes lojas do varejo araxaense.

Herdeiro do tino comercial da família, José Akel assumiu a gerência das Casas São Jorge em 1966, quando tinha 29 anos de idade. Hoje, o experiente empresário e comerciante de muito sucesso tem 75 anos de vida e é presença emblemática e atuante no dia-a-dia da empresa. Ele trabalha diariamente na loja situada na esquina das ruas Presidente Olegário Maciel e Mariano de Ávila, ou seja, no coração de Araxá.

O presidente da Acia, Márcio Farid, afirma que através de todos os seus diretores se sente extremante honrado em homenagear o empresário José Leopoldo Jorge Akel, e através dele homenagear também toda a sua família e ainda os milhares de clientes das Casas São Jorge.

A solenidade do Mérito Empresarial 2012 está marcada para iniciar às 20h e a noite será encerrada com coquetel dançante.

José Leopoldo Jorge Akel

Mérito Empresarial 2012 concedido pela Federação das Associações Comerciais e Empresariais do Estado de Minas Gerais – Federaminas, através da Associação Comercial e Industrial de Araxá – Acia

Na vida econômica de Araxá, um nome ressoa como símbolo de tradição comercial: Casas São Jorge. Remete a uma história familiar, de trabalho e de sucesso, inicialmente protagonizada por imigrantes árabes que, em 1931, escolheram Araxá para fazerem dela a sua nova terra. Descendente das famílias Akel e Bittar, José Leopoldo Jorge Akel é um empresário araxaense e legítimo representante dessa tradição.

Comerciante nato, nasceu em seis de agosto de 1937, período em que as lideranças comerciais locais fundavam a então Associação Comercial de Araxá. É filho de Jorge Akel e Rosa Bittar Akel. Ele, comerciante, ela, dona de casa; ambos naturais de Alepo, na Síria. Seus quatro irmãos: Josefina, Salomão, Ivone e Ivien.

Como inúmeras crianças, de várias gerações, estudou no Grupo Escolar Delfim Moreira. Depois, na Escola de Comércio idealizada pelo “Padre Clóvis”, educador salesiano responsável pela formação de muitos jovens. A escola profissionalizante atuava como um curso noturno oferecido pelo Colégio Dom Bosco e, para ele, oportunizou a conciliação entre teoria e prática.

Desde a infância viveu no universo comercial das Casas São Jorge, assimilando as lições e os exemplos do pai e do tio, Abrão José Bittar. No cotidiano das lojas e, por extensão, do mundo do trabalho, aperfeiçoou a vocação e o talento para os ofícios de comprar, vender, administrar e, assim, assumir, em 1966, aos vinte e nove anos, a gerência dos negócios da família.

O caminho exitoso das empresas teve início quando, nos anos 1920, os conterrâneos sírios, Jorge Akel e Abrão José Bittar, tecelão e sapateiro, respectivamente, conheceram-se em São Paulo. Trabalhando como mascates pelos interiores de São Paulo e de Minas Gerais, passaram por Araxá em 1929 e 1930.  Atraídos por três dos nossos ícones – o clima, as águas e a hospitalidade – decidiram aqui se fixar, em 1931. A esta altura, Jorge já era cunhado de Abrão, depois de casar-se com a irmã dele, Rosa.

O passo inicial foi alugar um cômodo no número 235 da antiga rua do Comércio (hoje, Dr. Franklin de Castro ), no mesmo lugar onde está instalada a atual matriz das Casas São Jorge. Assim permaneceram por cerca de dezoito meses, quando adquiriram e reformaram a casa ao lado, a de número 225. A expansão dos negócios com a comercialização de tecidos e congêneres, conquistou novo espaço físico e, sobretudo, relevante posição no cenário produtivo da cidade.

Na década de 1950, a trajetória empresarial da família ganhou impulso com a construção da filial das Casas São Jorge. Mais uma vez, novos e velhos conceitos como visão comercial, ousadia, dedicação, trabalho e empreendedorismo apontaram para a inovação aliada ao crescimento e à solidez. Depois de adquirirem uma residência situada na esquina das ruas Olegário Maciel e Mariano de Ávila, executaram, ali, um arrojado projeto, de autoria do arquiteto Ítalo Pezzuti e representativo da arquitetura modernista, tanto em Minas Gerais como no país.  Hoje, o prédio situado no coração de Araxá é referência em estudos de arquitetura no âmbito das universidades.

Essa loja da “Boa Vista”, inaugurada em maio de 1958, preserva antigos clientes e agrega outros tantos, sob o comando direto e permanente de José Akel. A dedicação absoluta ao trabalho e à memória dos fundadores das Casas São Jorge, o faz não apenas preservar o legado, mas ampliá-lo continuamente. Aos 75 anos, ele é presença emblemática e atuante no dia-a-dia da empresa.

Neste percurso contou sempre com a parceria inestimável da família: sua mulher, a também empresária, Ana Rita Angotti Akel, com quem teve quatro filhos (dos quais três herdaram a profissão dos pais) e cinco netos. São eles: Jorge Akel Neto (Ana Maria de Ávila Lemos), pais de Georgia e Samir; Guilherme Angotti Akel (Adriana Afonso Akel), pais de Cristiana e Tiago; Daniel Angotti Akel (Yvely Iunes Akel), pais de Rafael; e José Leopoldo Akel.

Mas ao empresário bem-sucedido e ao pai de família dedicado não faltou tempo para o exercício da cidadania. Durante dezenove anos, ele atuou na Santa Casa de Misericórdia de Araxá, ora como provedor, ora como membro da diretoria. Desde 29 de maio de 1976, ele integra a Loja Maçônica Ação e Silêncio e, por diversas vezes, esteve também na sua direção.

Se a participação na vida comunitária o faz sentir orgulhoso e realizado, a Associação Comercial e Industrial de Araxá, por sua vez, orgulha-se do empresário José Leopoldo Jorge Akel e, em igual reconhecimento, as Associações Comerciais e Industriais de Minas Gerais concedem-lhe o Mérito Empresarial 2012.

Pesquisa e texto: Glaura Teixeira Nogueira Lima

Notícias relacionadas