Super banner
Super banner

Polícia Civil busca por corpo de desaparecido em Araxá

Polícia Civil busca por corpo de desaparecido em Araxá
A Polícia Civil de Minas Gerais (PCMG), em Araxá, anunciou hoje à imprensa que as investigações acerca do desaparecimento de Edson Alves Cardoso, de 43 anos, indicam que ele foi assassinato. O corpo da vítima ainda não foi encontrado, mas a PCMG já colheu indícios de que Leandro Alberto Rodrigues, de 32 anos, considerado foragido, tem envolvimento no caso.

A família de Edson registrou a ocorrência do desaparecimento no dia 20 de abril informando que ele havia saído de casa por volta de 9h da manhã e, até à noite, não havia retornado. No dia 21 de abril, a Polícia Militar localizou a moto dele enterrada às margens de uma BR, sentido Belo Horizonte, e, junto à moto, calçados dele, sujos de sangue. No local, também foram recolhidas uma enxada e uma lona com marcas de sangue.

“A partir daí, começamos a trabalhar com a hipótese de homicídio. As investigações evoluíram e chegamos até o nome de Leandro Alberto Rodrigues, de, aproximadamente, 32 anos. Por uma desavença com a vítima, segundo apuramos, Edson teria vendido para o suspeito uma carteira de habilitação falsa, recebido o dinheiro, mas não entregou nem a carteira nem devolveu o dinheiro. Seria essa a motivação do crime”, adiantou o delegado Vinícius Ramalho Lima.

As informações apontam que Leandro teria assassinado Edson dentro da sua própria casa com três disparos de arma de fogo, provavelmente um revólver calibre .38, e depois enterrou a moto, possivelmente enterrando o cadáver também.

“A prova da morte do Edson, a prova cabal, será a localização do corpo dele. Só vai ser possível quando for achado Leandro, que é a única pessoa que tem notícia do paradeiro do corpo. Mas, em razão dos indícios obtidos, além da falta de informação do Edson e até mesmo da própria família, a gente trabalha com a hipótese de homicídio”, explicou o delegado.

A PCMG chegou a realizar a prisão de um homem, do rancho onde o suspeito ficou escondido por alguns dias, pelo crime de favorecimento pessoal, por ter auxiliado Leandro a fugir da polícia, no cumprimento do seu mandado de prisão, e por ocultação de cadáver. “Investigamos a eventual participação dessa pessoa com o homicídio e com a eventual ocultação de cadáver também”, finalizou o delegado.

Fonte: Assessoria de Comunicação – PCMG

Notícias relacionadas

Inscreva-se
Me avise:
guest
0 Comentários
Comentários em linha
Mostrar todos os comentários
0
Deixe seu comentário para essa notícia!x