Prefeitura participa de curso regional de Proteção e Defesa Civil

Prefeitura participa de curso regional de Proteção e Defesa Civil

A Prefeitura de Araxá, por meio da Secretaria Municipal de Segurança Urbana e Cidadania, participou da capacitação regional em Proteção e Defesa Civil. O curso ministrado pela Coordenadoria Estadual de Defesa Civil (Cedec) em parceria com a Fundação Estadual do Meio Ambiente (Feam) aconteceu entre os dias 25 e 27 no Uniaraxá.

Além da Prefeitura de Araxá, outros onze municípios também participaram do curso que contou ainda com a presença de representantes do Corpo de Bombeiros, Polícia Rodoviária Federal (PRF) e empresas privadas como CBMM e Vale Fertilizantes.

Temas como conceituação básica em Proteção e Defesa Civil, Sistema Nacional de Proteção e Defesa Civil, Instalação e Operacionalização da Coordenadoria Municipal de Proteção e Defesa Civil (Compdec), mapeamento da área de risco, introdução à Ciência, das Mudanças Climáticas, Mudanças Climáticas: Impactos, Vulnerabilidades e Adaptação e Plano Estadual de Combate à Dengue, foram abordados nesse curso regional de capacitação.

O instrutor do curso, Capitão PM Júnior Silvano Alves, explica que o curso trata da Proteção e Defesa Civil e Mudanças Climáticas que visa inserir os gestores públicos na cultura da gestão do risco de desastre trabalhando diretamente com os municípios. “Para isso, o curso busca capacitar gestores públicos para eles atuarem gerenciando risco de desastre. O foco da Organização das Nações Unidas (ONU) e da Lei 12.608 (de 10 de abril de 2012) a nível federal é trabalhar a Proteção e a Defesa Civil. O foco é na proteção, ou seja, proteger o cidadão, então a importância desse curso é que as pessoas recebem conhecimentos básicos a respeito”, destaca o diretor técnico e diretor de Planejamento da Cedec.

Segundo o instrutor, o curso se faz importante em virtude de diversos desastres que têm ocorrido no Brasil e no mundo inteiro. “Podemos citar, por exemplo, a tragédia de Mariana, um desastre sem precedentes na história envolvendo barragens. Difícil verificar isso acontecer e não trazer curso para as pessoas falando do tema da Defesa e da Proteção Civil”, acrescenta o capitão Júnior.

A analista ambiental da Fundação Estadual do Meio-Ambiente (Feam), Sarah Gusmão, reforça que o trabalho é realizado com escala de municípios porque é na cidade que os desastres acontecem. “Temos sim aquecimento global e os impactos serão vivenciados no município. Portanto, essa é a necessidade de capacitar os municípios. O critério de escolha de cada cidade é ser sede dos territórios de desenvolvimento do Estado que é a metodologia de divisão de Minas Gerais criada pelo governo atual”, destaca a analista ambiental.

O secretário de Segurança Urbana e Cidadania, Élvio Bertoni, reitera que os municípios precisam criar o seu órgão de Defesa Civil e que o curso é o primeiro passo para a criação desse dispositivo em Araxá. “No que pese já existir a legislação que cria o órgão municipal, ele não foi instalado ainda, então essa é exatamente uma oportunidade que o município está propiciando não só para Araxá, mas também a outras cidades da região que se inscreveram para o curso. Trabalhar na prevenção é muito melhor do que depois você sair já atrás do prejuízo”, coloca o secretário.

Além de Araxá, os municípios de Uberlândia, Santa Juliana, Tapira, Perdizes, Novo Cruzeiro, São Tiago, Machacalis, Engenheiro Navarro, Cachoeira Dourada, Campos Altos e Tupaciguara foram representados na capacitação regional. O bombeiro voluntário João Henrique Viegas, viajou 480 quilômetros de São Tiago, cidade próxima a São João Del-Rei, até Araxá em busca de mais conhecimento. “Devido o fato de ter ocorrido um desastre na minha cidade, nós vimos a necessidade de está acompanhando e fazendo esse curso para adquirir uma ampla visão e uma experiência a mais para a população de São Tiago”, comenta o bombeiro voluntário.

De acordo com o chefe do Centro de Operações do Corpo de Bombeiros de Uberlândia, tenente Daniel da Silveira Morais Júnior, o curso agrega a missão que a instituição tem que é relacionada a atividade de Defesa Civil. “Esse curso vem de encontro a essa atividade operacional e vai nos possibilitar capacitação para desenvolver a questão da Defesa Civil.

Para o secretário municipal de Segurança Pública, Mobilidade Urbana e Defesa Social de Perdizes, Coronel Hamilton Firmino da Silva, embora essa cidade se encontre fora do risco de desastres, é importante participar do curso. “Não podemos, de forma alguma, deixar essa questão da prevenção. O ex-presidente Fernando Henrique Cardoso sempre dizia que ‘a pior das calamidades é que nós nos acostumamos’. E acostumar com as pequenas coisas é que faz que toda a sociedade padeça depois com questões de calamidades”, declara o secretário de Perdizes.

A assistente administrativa da Secretaria de Agricultura e Meio Ambiente, de Cachoeira Dourada, Ana Paula Alves Ferreira, diz que o incentivo maior é aliar o conhecimento principalmente em virtude da formação de Direito que ela detém. “Além de me ajudar profissionalmente, também vai ajudar o município. Estou levando informações importantes para a minha cidade. Eu viajei 400 quilômetros de Cachoeira Dourada até aqui em Araxá para buscar estes conhecimentos”, afirma a assistente administrativa da Secretaria de Agricultura e Meio Ambiente de Cachoeira Dourada.

Notícias relacionadas

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *