Super banner
Super banner

Sargento Amilton denuncia vazamento de esgoto na estação do Barreiro

Sargento Amilton denuncia vazamento de esgoto na estação do Barreiro

Sargento Amilton

O vereador Sargento Amilton (PTdoB) usou a tribuna na reunião ordinária desta terça-feira (9) para fazer uma denúncia sobre um grande vazamento de esgoto na Estação de Tratamento (ETE) do Barreiro, situada no Lago Norte.

O vereador diz que recebeu informações em redes sociais que o estanque, responsável por fazer o tratamento do esgoto, está entupido.

“Está derramando e danificando inclusive uma nascente ali que é a do Córrego do Sal. Fui até o local, comprovei através de fotografias (apresentadas durante o seu pronunciamento), fiz a denúncia pedindo providências junto ao Ministério Público porque está ocorrendo ali é inadmissível. No ano de 2001 foi inaugurada aquela Estação de Tratamento de Esgoto da Copasa (Companhia de Saneamento de Minas Gerais) e pelo que vimos o dinheiro foi jogado fora. Está abandonado, entupido e ninguém toma providência”, diz o vereador.

Ele argumentou também que o vazamento em grande quantidade está atingindo a nascente do Córrego do Sal, dizendo que o fato foi comunicado à Polícia Ambiental e apresentou ainda uma indicação pedindo soluções ao Ministério Público e à Copasa.

O vereador aproveitou o assunto para relatar que a Copasa está deixando a desejar em vários serviços para a comunidade, cobrando soluções quanto à frequente falta de água no Setor Oeste e à população que paga impostos para que esses serviços sejam mais eficientes. Disse ainda que cobrou soluções junto à diretoria em recente visita à sede da Copasa em Belo Horizonte.

Segundo o gerente do Distrito Alto Paranaíba da Copasa, Geraldo Magela Mendes, a ETE do Barreiro está em concessão à Companhia de Desenvolvimento Econômico de Minas Gerais (Codemig), responsável pela manutenção, e por isso a Copasa não pode fazer nada sem nenhuma solicitação da própria Codemig.

O Diário de Araxá tentou contato com o vice-presidente da Codemig, Antônio Leonardo Lemos Oliveira, para comentar o assunto, mas o contato não foi finalizado até o fechamento da matéria.

Notícias relacionadas