Super banner
Super banner

Uniaraxá entra para a Rede Ibero-americana de Universidades Promotoras de Saúde

Uniaraxá entra para a Rede Ibero-americana de Universidades Promotoras de Saúde

O Centro Universitário do Planalto de Araxá (Uniaraxá) realizou, terça-feira passada (27), no campus, uma mesa-redonda sobre o tema “Prevenção de Queda em Idosos”.

O evento aconteceu dentro do Programa Universidade Promotora de Saúde, iniciativa que tem gerado ótimos resultados e atraído a atenção e curiosidade de acadêmicos e professores, inclusive, de outras instituições de ensino superior da região.

Um exemplo é a Universidade de Franca (Unifran), que participou da mesa-redonda com estudantes e professores.

As Universidades Promotoras de Saúde são instituições regidas pelo marco conceitual da promoção da saúde, cujo interesse é promover a saúde e o bem-estar em toda a comunidade universitária.

Na América Latina, a partir de 2007, a Rede Ibero-americana de Universidades Promotoras da Saúde reuniu instituições que, por meio da troca de ideias, iniciativas, avanços e trabalhos coletivos, promovem a saúde, o bem-estar, a equidade e o contínuo desenvolvimento sistemático e institucional, por meio do apoio intersetorial.

O Uniaraxá tornou-se membro da Rede Ibero-americana de Universidades Promotoras de Saúde, por iniciativa do professor Hélcio Balbino dos Santos, atual coordenador do programa em Araxá.

“Cursei mestrado e atualmente faço doutorado em Promoção de Saúde. Imerso nesse contexto, percebi que muito do que é considerado promoção de saúde é realizado pelo Uniaraxá. Neste ano, participei de um congresso na Espanha sobre Universidades Promotoras de Saúde, e um dos trabalhos que apresentei foi sobre a experiência de algumas instituições”, revela.

“Retornando desse congresso, apresentei uma proposta à reitoria sobre a possibilidade de nos juntarmos a uma rede internacional. Depois de aprovada a ideia, nós elaboramos um ofício e uma série de documentos, dentre eles, um portfólio com alguns projetos executados por nossa instituição. O presidente da Rede Ibero-americana de Universidades Promotoras de Saúde (Riups), evidenciando nossa história, nosso trabalho e desejo de compor essa rede, prontamente nos atendeu. Hoje somos reconhecidos como uma Universidade Promotora de Saúde”, conta Hélcio.

Dentro das propostas de trabalho no programa, os cursos de Fisioterapia e Psicologia estão desenvolvendo um projeto com 30 idosos da comunidade, apontando um histórico de quedas.

“Essa condição clínica é um dos principais fatores de internação, dependência e morte em idosos, ou seja, é um importante problema de saúde pública. Os atendimentos aos idosos são realizados duas vezes por semana, por aproximadamente 45 minutos, durante três meses, na Clínica de Fisioterapia do Uniaraxá”, diz Hélcio.

“Para participar do programa, o idoso/familiar ou responsável deve entrar em contato com a clínica e informar o interesse. Posteriormente, ele deverá procurar a direção da clínica, com encaminhamento médico do SUS, ressaltando, no documento, a necessidade de uma intervenção sobre o risco de quedas. As vagas são disponibilizadas, conforme a demanda da clínica”, explica o professor.

O trabalho em prevenção a quedas de idosos conta com 19 estagiários do curso de Fisioterapia (2º ao 8º período) e cinco do curso de Psicologia. Eles receberam um treinamento prévio sobre os temas abordados e passaram por um processo de qualificação a fim de realizar as avaliações.

Atualmente, eles auxiliam na abordagem e atuam, sob a supervisão de dois professores – Hélcio Balbino e Bruno Resende – com a colaboração da professora Ana Paula Oliveira Borges, da Unifran.

“É muito bom ver os estudantes crescerem como futuros profissionais e desenvolver uma aliança terapêutica, que é pedra fundamental para o atingirmos os objetivos do Programa”, vibra Hélcio.

Ações a outros públicos

O projeto está desenvolvendo também ações direcionadas a outros públicos, dentro da comunidade universitária. Foi fechada uma parceria com uma associação de bairro de Araxá, onde serão executados, no primeiro semestre de 2019, quatro projetos voltados a idosos e crianças.

Em todos eles, haverá participação e envolvimento de estudantes e professores de todos os cursos. “Em conjunto com outros três professores do Uniaraxá – Renato Ganzarolli, Sharon Sampaio e Natália Gomes – estou elaborando os programas, buscando parcerias, alimentando nosso site – que está em fase de elaboração – desenvolvendo pesquisas em promoção de saúde, e, claro, avaliando os projetos e suas implicações, acadêmica e social, bem como suas efetividades”, destaca Hélcio.

Nesse primeiro momento, a equipe optou por trabalhar as ações em uma região da cidade de Araxá. Nessa área, por meio da parceria com a associação de bairro, serão levantadas as principais questões e problemas, dentro da proposta de promoção de saúde.

A ideia é desenvolver a participação ativa das pessoas no cuidado e autogerenciamento da sua saúde. Após essa fase do projeto, as ações serão estendidas a outras regiões da cidade, e também cidades vizinhas.

“Ao falar em saúde, tem que se pensar em educação, saneamento básico, empregabilidade, tecnologia da informação, cidadania, cultura, aspectos cognitivos comportamentais, atividade física, dentre outros. Dessa forma, as ações a serem desenvolvidas devem ter cunho interdisciplinar e abranger todos os cursos do Uniaraxá”, enfatiza o coordenador do projeto.

Notícias relacionadas

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *