A qualificação como segredo do sucesso para o turismo local

A qualificação como segredo do sucesso para o turismo local

Na reportagem de hoje (29) da Série Especial de Campos do Jordão, você confere como a qualificação pode ser o ponto chave do sucesso para o turismo de Araxá e que há vagas gratuitas de sobra para estudar Gastronomia e Hotelaria em Campos do Jordão.

Para a professora do Serviço Nacional de Aprendizagem Comercial (Senac), Ana Carolina Pisciotta de Barros, o mercado turístico no Brasil é muito vasto, mas falta pessoal qualificado para as vagas de emprego. “Não adianta investir em turismo se eu não tenho pessoas qualificadas para isso. É muito importante que a pessoa procure um curso, um aperfeiçoamento, para atender bem um cliente”, destaca.

Um fato interessante dito por Ana Carolina é que sobram vagas do Programa Universidade Para Todos (Prouni) no Centro Universitário do Senac, em Campos do Jordão, que é um dos mais conceituados do Brasil.

“Umas das grandes vantagens do Senac é que ele tem 66,67% de disponibilidade de bolsas através do Enem (Exame Nacional do Ensino Médio) para qualquer curso, não só Hotelaria como Gastronomia”, conta.

Mesmo com bolsas, o Senac não preenche todas as vagas oferecidas. “Sobraram vagas gratuitas para interessados em fazer os cursos de Gastronomia e Hotelaria. Além disso, temos o Fies (Programa de Financiamento Estudantil)”, diz.

A professora explica que os locais de trabalho para um profissional do turismo é bastante variado. “A pessoa pode trabalhar em hotéis, motéis, restaurantes, navios, a gama é muito grande e além de opções dentro do curso, eu posso trabalhar desde como um gerente geral a um intérprete. E isso é necessário em todo lugar, fora o valor financeiro que a pessoa vai ganhar que é bem satisfatório.”

Empresários x Funcionários

Para Ana Carolina, às vezes os empresários exigem muito dos funcionários, mas não dão nada em troca. “Se houver uma sinergia de proprietários de restaurantes, de pousadas, hotéis e todos os envolvidos no turismo, no intuito de buscar pessoas para darem treinamentos, isso sairia muito mais barato, os funcionários ficariam satisfeitos, mas é necessário que as pessoas gestoras do turismo se mobilizem”, diz.

Segundo a professora, é difícil para um funcionário buscar e pagar por um curso sem que ele seja ajudado. “Como que o funcionário vai buscar e pagar por um treinamento? É difícil. Eu preciso dar condições e quem ganha com isso são os empresários e as pessoas que precisam da prestação de um determinado serviço”, afirma.

Repercussão de um mal atendimento

O estabelecimento que não atende bem um cliente está fadado ao insucesso. Segundo Ana Carolina, existem vários tipos de mídia, mas a mídia mais utilizada é o boca a boca. “O grande diferencial hoje em dia é o fator humano. Quando existe um mal atendimento, no mínimo de três a quatro pessoas vão ficar sabendo. Agora, quando eu gosto muito do atendimento, provavelmente, eu vou dizer só para uma pessoa”, explica.

Série Especial Campos do Jordão

Na reportagem de amanhã (29), você confere como deve ser feito um turismo com política, mas sem politicagem.

Leia também

Convention de Campos do Jordão enaltece parcerias e não depende do poder público

Diário de Araxá inicia série sobre a missão turística em Campos do Jordão

Tem dinheiro esperando por Araxá, mas faltam projetos

A valorização do guia de turismo em Campos do Jordão

Notícias relacionadas