Araxá já tem 36 casos de dengue confirmados

Araxá já tem 36 casos de dengue confirmados

A Secretaria Municipal de Saúde confirmou mais dez casos de dengue em Araxá. Até o momento são 36 casos confirmados este ano, sendo 26 registrados no município e dez importados, ou seja, onde a contaminação acontece em cidades vizinhas. O número já é 900% maior que em 2009, quando foram registrados apenas quatro casos confirmados e a expectativa é que aumente ainda mais nos próximos dias com a divulgação dos resultados de mais 58 laudos. A quantidade de notificações também aumentou, já são 154 suspeitas da doença, desses 60 casos foram descartados após serem analisados pela Fundação Ezequiel Dias (Funed), em Belo Horizonte.

Até o momento foram notificados 78.247 casos de dengue em Minas Gerais. Deste total, 17 já foram confirmados como sendo dengue hemorrágica, destes 6 são óbitos foram confirmados como dengue hemorrágica: 1 em Arcos, 1 em Frei Inocêncio,1 em Belo Horizonte, 1 em Paraopeba, 1 em Vespasiano e 1 em Nova Lima ( este último é um caso importado, a pessoa se infectou fora de Minas Gerais. Existem outros 23 óbitos em investigação para dengue hemorrágica. Também foram notificados 56 casos de dengue por complicações, destes, 9 resultaram em óbito.

A partir de novembro de 2009 o número de casos notificados de dengue começou a aumentar devido à ocorrência de uma situação ambiental favorável ao aumento de transmissão, causada pelo aumento da ocorrência de chuvas e da temperatura, consequentemente aumentando os índices de infestação do vetor da doença. A Fundação FUNED comprovou a transmissão simultânea por diferentes sorotipos no Estado, através dos exames de isolamento viral: DEN-1, DEN-2 e DEN-3 em 2008 e 2009, fato que propicia o aumento da transmissão de dengue e a ocorrência de maior número de casos na forma grave.

O secretário municipal de saúde, Antonio Marcos Belo, diz que das 27 cidades da macrorregião, vinte estão em pior situação que Araxá. “Em Formiga (MG) que é menor que Araxá já forma registrados 1,8 mil notificações, Uberaba são mais de dois mil casos, ou seja, não é um caso especifico é um problema de todo o país. Temos que continuar trabalhando é tomando as medidas preventivas para tentar reduzir o número de casos o mais breve possível. Não houve ausência, imprudência, do setor Zonosses da cidade, trabalhamos serio, mas é uma epidemia que acontece em todo o Brasil. Com o grande número de pessoas que visitam Araxá e de pessoas que vão até cidades vizinhas não tínhamos como evitar casos registrados no município.”

De acordo com Antônio Belo, os registrados em hospitais particulares não são registrados pela secretaria de Saúde. “Certamente temos um número maior de casos de dengue no município, mas como toda a analise é feita por serviços particulares e nós não temos acesso a esses dados não tem como considerar esses casos e o próprio Sistema Único de Saúde (SUS) não leva em conta esses números”, ressalta o secretário.

Sintomas

O doente pode apresentar sintomas como febre, dor de cabeça, dores pelo corpo, náuseas ou até mesmo não apresentar qualquer sintoma. O aparecimento de manchas vermelhas na pele, sangramentos (nariz, gengivas), dor abdominal intensa e contínua e vômitos persistentes pode indicar a evolução para a dengue hemorrágica. Esse é um quadro grave que necessita de imediata atenção médica, pois pode ser fatal. É importante procurar orientação médica ao surgirem os primeiros sintomas, pois as manifestações iniciais podem ser confundidas com outras doenças, como febre amarela, malária ou leptospirose e não servem para indicar o grau de gravidade da doença.

A melhor forma de se evitar a dengue é combater os focos de acúmulo de água, locais propícios para evitar a criação do mosquito transmissor da doença, o Aedes aegypti. Para isso, é importante não acumular água em latas, embalagens, copos plásticos, tampinhas de refrigerantes, pneus velhos, vasinhos de plantas, jarros de flores, garrafas, caixas d´água, tambores, latões, cisternas, sacos plásticos e lixeiras, entre outros.

Notícias relacionadas