Araxá tem mais seis casos confirmados de dengue

Araxá tem mais seis casos confirmados de dengue

Um laudo divulgado pela Secretaria municipal de Saúde apontou mais seis casos confirmados de dengue em Araxá. Com isso, o município tem atualmente 16 casos confirmados. As formas de prevenção e de combate ao mosquito Aedes aegypti, transmissor da dengue, foi o foco da primeira reunião do Núcleo de Mobilização Social em Saúde da prefeitura. O núcleo é um mecanismo de comunicação para repassar à comunidade todas as orientações e informações necessárias para prevenção de doenças.

O trabalho é realizado com alunos da rede pública de educação, associação de bairros, entre outros segmentos da sociedade. A inauguração do projeto aconteceu nesta terça-feira (9), na sede da Associação dos Municípios da Microrregião do Planalto de Araxá (Ampla).

A melhor forma de se evitar a dengue é combater os focos de acúmulo de água, locais propícios para evitar a criação do mosquito transmissor da doença. Com isso, o Núcleo Mobilização Social promove diversas ações preventivas para evitar a proliferação do mosquito Aedes aegypti.

A quantidade de notificações e casos confirmados de dengue em Araxá cresce a cada dia. A quantidade de casos confirmados já é 300% maior que em 2009, quando foram registrados apenas quatro casos. Até o momento são 77 notificações, dez exames negativos e a secretaria aguarda os resultados de mais quatro casos suspeitos importados que estão sendo analisados pela Fundação Ezequiel Dias (Funed), em Belo Horizonte.
 
O coordenador do Núcleo de Mobilização Social em Saúde, José Reis, explica que as unidades de saúde, escolas, associações de bairros, entre outros locais de grande movimentação de pessoas funcionará como canais de comunicação.

“São meios de comunicações naturais e o nosso trabalho será organizar a comunidade para repassar as informações por esses espaços. O trabalho começa com a conscientização dos espaços da sua importância para transmitir as orientações com são útil para a população. Todos os profissionais que trabalham desses espaços vão se transformar em agentes multiplicadores das informações de saúde.”

De acordo com ele, o núcleo tem como um dos objetivos fomentar campanhas atuais. “Hoje, a dengue é o assunto debatido em todo o país, por isso, a nossa primeira ação será o combate a dengue, implantando o projeto Agente Mirim. Os alunos de escolas estaduais e municipais até o 5º ano vão conhecer o mosquito Aedes aegypti, os locais de proliferação da doença e aprender a combater o mosquito”, afirma.

“O objetivo é que eles entendam a importância da prevenção da doença e transmitem as informações aos adultos e familiares. O núcleo vai preparar todos os multiplicadores para que eles já possam organizar reuniões em seus segmentos sociais e repassam as orientações para combater a dengue”, acrescenta Reis.

Notícias relacionadas