Copa Internacional de MTB aproxima ciclistas brasileiros do Rio 2016

Copa Internacional de MTB aproxima ciclistas brasileiros do Rio 2016

Com a inédita classificação SHC nas Américas, ou Hors Class por Estágios, a abertura da Copa Internacional Levorin de MTB, em Araxá, ofereceu aos campeões das super elites 160 pontos nos rankings internacionais. Entre os brasileiros, ficaram mais próximos dos Jogos Rio 2016 o campeão da etapa Henrique Avancini, com a pontuação máxima obtida, e Érika Gramiscelli, vice-campeã, com 140 pontos somados. Rubinho Valeriano e Raiza Goulão, ambos terceiros colocados, somaram 130 pontos. Os ciclistas nacionais nunca somaram tantos pontos no ranking como na primeira das três provas do ano da CIMTB Levorin, que levou mais de 1.500 atletas de 13 países e público de 20 mil pessoas ao Barreiro. 


“Essa etapa inédita mostra sua grandeza não só na quantidade de países inscritos, mas também na pontuação. Ao todo, nas duas categorias principais, foram distribuídos 2742 pontos UCI. Do campeão ao 40º lugar, todos pontuaram. O décimo, por exemplo, ganha 65 pontos, mais que um vencedor de prova Classe 1 de MTB”, destacou Rogerio Bernardes, organizador do evento. “Outro fato interessante foi o clima na cidade. A etapa de Araxá deixou de ser uma corrida de bicicleta. Virou um encontro anual de apaixonados por bike. Muitas pessoas vão pra ficar hospedado no Tauá e outros hotéis e já levam até a avó pra torcer pelo neto na mirim”, ponderou o organizador. 

Válido a partir do fim de maio de 2014, o ranking olímpico para o Rio 2016 definirá no período de dois anos os representantes do Brasil no principal evento esportivo do mundo. Haverá soma dos pontos obtidos pelos três melhores pontuadores do País neste período, definindo-se o ranking das nações. No masculino, do primeiro ao quinto país serão oferecidas três vagas por nação. Do sexto ao 13º, duas vagas, e do 14º ao 24º, uma vaga. No feminino, do primeiro ao oitavo colocado serão atribuídas duas vagas, e do nono ao 18º, apenas uma. A última vaga será revertida ao país sede, caso ainda não esteja garantido pelo critério técnico. 

Após a última atualização da UCI (União Ciclística Internacional), em 3 de março, o Brasil aparece na 19ª e 20ª colocações no masculino e feminino, respectivamente. Porém, somados os pontos do fim de semana em Araxá, os três melhores do País elevariam em ambas categorias a nação ao 14º lugar, numa projeção estimada por não considerar os resultados de outras competições pelo mundo. 

Juntas, Erika, Raiza e Isabella somaram 380 pontos, subindo o Brasil de 1.165 para 1.545 pontos. Entre os homens, Avancini, Rubinho e Ricardo Psheidt seriam os três primeiros neste momento, com a soma elevando-se dos atuais 895 para 1.257 pontos, e com Pscheidt no terceiro posto, ultrapassando o compatriota Sherman Trezza.

Recorde de países – Acostumada a receber ciclistas da América do Sul e, eventualmente, atletas, europeus, a CIMTB Levorin foi mais longe e bateu um recorde em provas de MTB no Brasil, com 13 países representados. Além dos brasileiros vindos de 20 estados diferentes, a competição contou com inscritos da Argentina, Chile, Equador, Venezuela, Suíça, Portugal, México, Inglaterra, Polônia, Israel, Eslováquia e Hungria. “Em 2016 bateremos o recorde outra vez. Esperamos no mínimo 30 países na prova que será um aquecimento para Rio 2016”, avaliou Rogerio Bernardes.

Elogios internacionais – Comissário representante da UCI em Araxá, o holandês Benno Nijland elogiou a organização. “A CIMTB Levorin é uma excelente competição. Esta é minha segunda vez no Brasil. Tive experiência no ano passado em outra corrida, mas entendo que a CIMTB Levorin é uma prova de alto nível. A organização é muito boa, acomodação é ótima. Confesso que ainda não havia trabalhado em prova com a largada na porta do hotel onde estava hospedado. O circuito é muito bem montado e a população participa intensamente”, observou Benno. “Acho que a classificação de SHC é bem justa. Já trabalhei em competições deste gênero em diversos locais. Asseguro que Araxá está no mesmo nível até das etapas de Copa do Mundo”, completou Benno. 

O inglês Paul Davis, integrante do Comitê da Olimpíada de Londres em 2012, esteve em Araxá e deu sua opinião sobre a CIMTB Levorin. “O evento tem potencial para receber uma Copa do Mundo. Do meu ponto de vista as instalações são excelentes. Provavelmente as melhores que já vi até hoje, e olha que já estive em cerca de 15 provas de Copa do Mundo. O que mais chama atenção é estrutura, brilhante. A CIMTB Levorin é uma competição maravilhosa e muito bem organizada”, parabenizou.

Na manhã do domingo (8), Paul decidiu de última hora participar da competição na categoria sub-50. “O circuito pelo o que vi é realmente muito técnico, testa o atleta e o leva ao limite, exigindo o máximo de suas habilidades. Confesso que sofri uma queda, mas ao meu ver o circuito tem fluidez muito boa, com subidas bastante técnicas. Possui todas as características que um evento de MTB precisa”, constatou.

Notícias relacionadas