Exportações mineiras superam meta em mais de US$ 4 bilhões

Exportações mineiras superam meta em mais de US$ 4 bilhões

Minas Gerais registrou exportações da ordem de US$ 24,44 bilhões em 2008, cifra que ultrapassa em mais de US$ 4 bilhões a meta prevista de US$ 20,16 bilhões para o ano. Os dados foram divulgados no final da tarde desta segunda-feira (5) pela Central Exportaminas, órgão vinculado à Secretaria de Estado de Desenvolvimento Econômico (Sede), que atua em parceria com o Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior (MDIC).

As exportações mineiras registravam US$ 7,43 bilhões em 2003, início do governo Aécio Neves. Nos últimos cinco anos, portanto, o valor das vendas externas de Minas Gerais mais que triplicou, com desempenho acima da média brasileira, indica o órgão.

O ano de 2008, conforme o levantamento, foi o melhor do comércio exterior mineiro, com uma média de US$ 2 bilhões mensais e o recorde mensal de US$ 2,83 bilhões em setembro, fruto da demanda fortemente aquecida dos mercados mundiais até o fechamento do terceiro trimestre.

A participação do Estado na pauta nacional manteve-se constante ao longo do ano, fechando em 12,4% no mês de dezembro. Com isso, o Estado permanece, de forma consolidada, na segunda posição no ranking nacional, atrás apenas de São Paulo.

O secretário de Estado de Desenvolvimento Econômico, Raphael Guimarães Andrade, observa que o desempenho das exportações em 2008 foi melhor do que a expectativa inicial, acusando crescimento de 10%.

“O excelente desempenho verificado nos nove meses iniciais do ano levou ao resultado final de mais 33,2% nas exportações mineiras, bem acima da expectativa inicial do Governo do Estado e melhor do que a média nacional de 23,2%.” Ele acrescenta que as cadeias minerometalúrgica, automotiva, cafeeira e celulose foram as principais impulsionadoras desse desempenho.

Numa perspectiva de evolução estrutural, as exportações mineiras expandiram pelo quinto ano consecutivo a taxas de dois dígitos, implicando um valor em 2008 cerca de 230% superior ao de 2003.

Já as importações contabilizadas pelo Estado também foram recorde, superando US$ 10,4 bilhões e com elevada participação de insumos produtivos e bens de capital. O saldo comercial mineiro, ao contrário do valor nacional, cresceu 17,8% em relação a 2007, mantendo para o Estado a marca de maior valor dentre as unidades da federação.

Crise financeira

Sob o efeito da crise financeira internacional, o comércio exterior mineiro apresentou queda de 20% em dezembro em relação às exportações de novembro, caracterizando uma forte reversão no quarto trimestre ao período de expansão observado desde 2003 até setembro passado.
De acordo com os números preliminares do MDIC repassados à Central Exportaminas, dezembro apresentou queda nas exportações em comparação ao mês de novembro (US$1,79 bilhão), totalizando US$ 1,44 bilhão, confirmando a tendência de queda do valor exportado a partir de setembro, devido à conjuntura de crise mundial, notadamente pela queda de demanda e preços de commodities. Assim o valor exportado em dezembro de 2008 foi 5,6% menor em relação a idêntico mês do ano anterior.

Minérios

Um dos reflexos mais fortes da retração global ocorreu no setor de mineração. O valor médio por tonelada exportada de minério de ferro, principal produto da pauta mineira, caiu 6,6% em relação a novembro de 2008. Em relação a dezembro de 2007, o preço cresceu 77,4%, compensando a grande queda de cerca de 40% na quantidade exportada.

O café também experimentou redução no valor médio exportado de 4,3% em relação a novembro de 2008 e de 3,6% em relação a dezembro de 2007.Outra importante commodity da pauta que sofreu queda nos preços foi a celulose.

Em relação a novembro de 2008, o valor médio por tonelada caiu 18,7%, situação semelhante a dezembro de 2007, quando foi registrada queda de 12,6% no preço. Ainda em relação a novembro de 2008, as importações caíram 28,5% e a balança comercial 9,1%.

Notícias relacionadas