Médico diz que não omitiu socorro à gestante na Santa Casa

Médico diz que não omitiu socorro à gestante na Santa Casa

A Polícia Militar (PM) registrou um boletim de ocorrência de omissão de socorro na Santa Casa de Misericórdia de Araxá, na tarde deste domingo (22), envolvendo o médico que estava de plantão, Ayres Dumont de Paiva Borges.

De acordo com a solicitante, o médico teria atendido com descaso a sua prima, que estava com quatro meses de gestação e perdeu o bebê. Ela relata na ocorrência que a gestante caiu em sua residência e procurou atendimento na Santa Casa, por volta das 14h30.

A solicitante pediu para que o médico fizesse o ultrassom rapidamente em sua prima e foi informada que o atendimento seria agilizado. Segundo ela, o médico não se empenhou em saber a situação do bebê e foi grosseiro durante o atendimento.

Ela relatou à PM que a gestante estava com a bolsa estourada e teve muito sangramento. A ocorrência diz que o atendimento foi agilizado com a chegada da PM e constata que a gestante sentia fortes dores e estava chorando com o receio de perder o bebê. Segundo a ocorrência, o óbito da criança foi confirmado após a realização do exame.

Em entrevista ao Diário de Araxá, Ayres afirma que a gestante recebeu atendimento normal. “Ela foi atendida de imediato, foi aplicado um soro e demos um remédio para aliviar a dor, além de prepará-la para o ultrassom. Ela esperou pelo exame porque tinha que estar com a bexiga cheia para termos condições de visualizar o feto“, afirma o médico.

Segundo ele, o exame foi feito por volta das 17h e, depois de feita a curetagem, constatou que o bebê havia morrido há mais de dez dias. “Não foi a queda no dia do atendimento que provocou a morte do bebê”, diz.

“Eu não omiti socorro e o policial precisa estar bem preparado, saber primeiro o que é omissão de socorro, ouvir os dois lados. A gestante foi atendida normalmente. Estou até pensando em processar por danos morais essa solicitante que registrou a ocorrência.”

Notícias relacionadas