Super banner
Super banner

Ministério Público recomenda inspeção sanitária em todas as escolas de Araxá

Ministério Público recomenda inspeção sanitária em todas as escolas de Araxá

Mara Lúcia Silva Dourado, promotora de Justiça - Foto: Jorge Mourão

Da Redação/Jorge Mourão – O Ministério Público de Minas Gerais expediu recomendação à Vigilância Sanitária Estadual e à Vigilância em Saúde do município para que no prazo de 90 dias – contados a partir da última sexta-feira (28) – todas as creches, centros de educação infantil e escolas públicas e particulares de Araxá sejam inspecionadas.

A recomendação foi motivada por irregularidades encontradas na caixa d’água do Centro Municipal de Educação Infantil (Cemei) Anita Mesquita em 5 de maio passado – morcego morto, larvas do mosquito da dengue e carcaças de pássaros, além de duas crianças do Cemei Delica Pereira Vale apresentarem sintomas típicos de intoxicação por álcool, plantas ou medicamentos em 8 de dezembro de 2009. As ocorrências foram registradas pelo Corpo de Bombeiros Militar e Polícia Militar.

De acordo com a promotora Mara Lúcia Silva Dourado, há possibilidades de outras unidades de ensino do município apresentarem as mesmas irregularidades que podem colocar em risco a saúde da comunidade estudantil.

A recomendação também determina que medidas técnicas sejam adotadas no sentido de compelir a Secretaria Municipal de Educação e a Inspetoria de Ensino a atenderem as exigências legais para sanar todas as irregularidades que foram detectadas pela Vigilância em Saúde.

A partir de 2012, em todo o dia 15 de janeiro de cada ano o cronograma de visita sistemática a todas as unidades de ensino deve ser apresentado ao Ministério Público.

“Compete à Vigilância Sanitária realizar ações educativas e preventivas em creches e estabelecimentos de ensino analisando a água e alimentos consumidos, além da capacitação dos profissionais para manuseá-los e acondicioná-los adequadamente. É obrigação da autoridade sanitária determinar a execução de medidas de controle e profilaxia de agravos à saúde da população.”, destaca a promotora.

Notícias relacionadas