Super banner
Super banner

Projetos de educação sanitária têm continuidade em Araxá

Projetos de educação sanitária têm continuidade em Araxá

Alunos atendidos pelos projetos - Divulgação/IMA

Da Redação/Via Ascom – O Instituto Mineiro de Agropecuária (IMA), através do escritório seccional de Araxá, a Secretaria Municipal de Educação e a Companhia Brasileira de Metalurgia e Mineração (CBMM), lançaram nesta semana os projetos Sanitaristas Mirins, Sanitarista Agropecuário Juvenil e Conservação das Florestas/Bioma Cerrado na região.

As atividades de educação sanitária desenvolvidas em Araxá destacam-se pela adoção de um currículo adaptado nas escolas rurais, em conformidade com o parecer do Conselho Estadual de Ensino. São utilizados conteúdos e metodologias apropriadas às peculiaridades da vida rural, com informações sanitárias da agropecuária para os professores, alunos e familiares, favorecendo novas condutas relativas à sanidade animal, vegetal, segurança alimentar e conservação do meio ambiente.

O Projeto Sanitaristas Mirins faz parte do programa do governo de Minas. Em 2011, atingiu um universo de 18.673 escolares. Já em 2012, pretende envolver 19.987 alunos e professores em todo o Estado.

Em Araxá, iniciou-se em 2007, sendo desenvolvido em seis escolas municipais rurais e atualmente, está presente em cinco estabelecimentos de ensino, envolvendo alunos do 5º ano.

No projeto, os alunos e professores recebem do IMA todo material didático, (livro, DVD com palestras, filmes e textos, manual do professor, pastas, blocos e folders). Os conteúdos são desenvolvidos com a participação efetiva dos professores e parceiros, treinados pelo IMA.

Já o Sanitarista Agropecuário Juvenil, que é piloto em Araxá desde 2010, foi elaborado pela Secretaria Municipal de Educação e pelo IMA, a partir da constatação da necessidade de dar continuidade ao Sanitaristas Mirins.

O projeto envolve capacitação de jovens multiplicadores do 6º ao 8º ano, de cinco escolas municipais da zona rural, através de aulas teóricas e práticas de acordo com a proposta curricular da Secretaria Municipal de Educação, abordando os temas produção animal e agrícola sustentável, preservação ambiental e segurança alimentar. O sanitarista juvenil repassa seus conhecimentos adquiridos à comunidade escolar, envolvendo ainda, os pais e proprietários rurais.

A gerente dos Projetos, Elisabeth Rios, afirma que o sucesso deve-se às parcerias firmadas não só com a Secretaria de Educação e a CBMM, mas também com a Emater local, Senar, cooperativas, associações rurais, ONGs, Laboratório Hertape e outros órgãos governamentais.

“Os estudantes serão aliados no desenvolvimento sustentável, compreendendo melhor o ambiente e contribuindo para o bem-estar de toda a sociedade. Os programas de educação sanitária são essenciais para conscientizar as futuras gerações sobre a importância de se adotar, desde cedo, práticas agropecuárias responsáveis, focadas na sustentabilidade” destaca Elisabeth Rios.

Notícias relacionadas