Super banner
Super banner

Secretaria promove capacitação para educadores municipais

Secretaria promove capacitação para educadores municipais

A Secretaria Municipal de Educação promoveu uma manhã de capacitação para diretores, supervisores, educadores da rede municipal, e inspetoras da Superintendência Regional de Ensino do Estado.

O evento foi realizado nesta terça-feira (14), no Tribunal do Júri do Centro Universitário do Planalto de Araxá (Uniaraxá), e contou com as palestras do diretor do Fórum de Araxá, juiz Renato Zouain Zupo, e da promotora curadora da Infância e Juventude, Mara Lúcia Silva Dourado, que proferiram palestras sobre o Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA).

A secretária municipal de Educação, Giovana Maria Mesquita de Paula Guimarães, destaca que a capacitação dos participantes é uma necessidade constante. “No nosso dia-a-dia já trabalhamos com uma proximidade com o Ministério Público e magistratura. O encontro é apenas a primeira de muitas capacitações que temos planejado ao longo do ano.”

A secretária acrescenta que todas as profissionais de educação serão beneficiadas com os cursos de capacitação. “Neste primeiro momento delimitamos palestras para diretoras, supervisoras, educadoras e inspetoras porque preferimos trabalhar em grupos não muito grandes para que o debate seja bem realizado. Mas esses encontros serão estendidos para toda a rede”, afirma Giovana.

As drogas nas escolas foi um dos temas discutidos durante o encontro. “A droga é um grande desafio da sociedade contemporânea e temos a obrigação de trabalhar uma política de prevenção com nossos jovens. A criança e o adolescente são vítimas em potencial das drogas”, destaca.

A promotora Mara Dourado afirma que a promoção de encontros de capacitação para educadores da rede municipal é uma oportunidade de se passar algumas noções sobre o ECA, quais os direitos assegurados aos jovens, qual o papel da família e da escola na defesa desses direitos.

“A droga hoje é um dos maiores, senão o maior problema da infância e juventude. O uso de substâncias entorpecentes e a quantidade de menores que estão sendo utilizados no tráfico de drogas têm aumentados e a escola pode contribuir para a diminuição desse problema. Esses profissionais têm que saber qual seu papel, sua obrigação e seu limite de intervenção dentro do trabalho em rede. Com isso, teremos um trabalho de qualidade dentro da ceara da infância e juventude”, afirma a promotora.

Notícias relacionadas