Super banner
Super banner

Anestesistas da Santa Casa fazem paralisação

Anestesistas da Santa Casa fazem paralisação

santa casa araxá

Da Redação/Isabella Lima – Os médicos anestesistas da Santa Casa de Misericórdia de Araxá paralisaram o atendimento nesta segunda-feira (1º), a uma semana das eleições, para protestar cinco meses de atraso no pagamento da equipe.

O anestesista Ilson da Costa explica que o pagamento das cirurgias de urgência e emergência, responsabilidade da Santa Casa, está em dia, mas o pagamento das cirurgias eletivas, de competência da prefeitura, não é feito desde maio para dois dos quatro anestesistas.

“Nós tentamos negociar, demos um voto de confiança, mas chegou um ponto que não dá mais. Procuramos a prefeitura, mas alegam que não tem um meio legal de fazer o repasse para os anestesistas.”

A equipe de anestesista está parada, atendendo somente casos de emergência. As cirurgias eletivas só serão retomadas com a confirmação do pagamento dos salários atrasados.

Procurada pela reportagem do Diário de Araxá, a secretária municipal de Saúde, Patrícia Auxiliadora, justificou o atraso nos salários como uma questão jurídica, que não permite que o pagamento seja feito diretamente aos médicos.

“Temos quatro anestesistas na Santa Casa, sendo que dois são contratados da prefeitura. Fazíamos o pagamento através do Caixa Médico, a gente lançava o salário dos não contratados para um dos anestesistas da prefeitura, que repassava o pagamento. Quando a prefeitura passou a divulgar os salários, esses contratados ficaram inibidos (porque o salário era alto, para repassar aos outros dois anestesistas) e pediram para suspender o Caixa Médico.”

Ainda de acordo com Patrícia, sem a opção do pagamento indireto, através dos outros anestesistas, a prefeitura tem que pedir dispensa de licitação para quitar os salários.

“Eu não tenho como pagar a não ser por essa dispensa de licitação. Entramos hoje com a documentação, o processo não deve demorar.”

A secretária disse ainda que a paralisação total dos anestesistas não tem motivos. Ela reforçou que os dois anestesistas funcionários da prefeitura estão com os salários em dia e se o atendimento for interrompido, a promotoria será acionada.

Notícias relacionadas