Casos graves de Covid-19 aumenta sinal de alerta em Araxá

Casos graves de Covid-19 aumenta sinal de alerta em Araxá

Propagação de forma mais rápida, aumento do período de permanência na Unidade de Terapia Intensiva (UTI), sucessivos registros de altas ocupações nos leitos clínicos e o crescente número de óbitos são as principais preocupações dos profissionais de saúde em Araxá.

Na última semana, a cidade atingiu o maior percentual de monitoramentos desde o início de 2021. Foram registrados 600 casos em recuperação, o que representa 400% a mais do registro apontado em 4 de janeiro, que era de 151 pessoas monitoradas.

O número de casos de Covid-19 e outros indicadores, como óbitos e internações, estão crescendo gradativamente com uma gravidade superior aos últimos meses. Um dos grandes temores é a chegada das novas variantes do coronavírus na cidade, que tem como caraterística o rápido contágio. 

“É preciso ter cuidado ao viajar, quando for retornar não voltar aos afazeres diários antes de fazer uma quarentena de 14 dias. Pedimos para as pessoas terem cuidado com reuniões domiciliares, pois existe um aumento muito grande de famílias contaminadas, sem falar que estamos preocupados com as novas vertentes deste vírus, que podem chegar nos próximos dias” enfatiza Diane Dutra, secretária Municipal de Saúde.

 A falsa sensação de segurança com a chegada da vacina também preocupa os profissionais de saúde, uma vez que a aplicação não é sinônimo de imunização total. Ela permite que a pessoa contraia o vírus de uma forma mais branda, porém, não significa que não será mais infectada.

 Diane faz um alerta sobre a importância da prevenção neste período difícil, e reitera que o munícipio, hoje, tem condições necessárias para acolher uma demanda crescente de casos, mas que podem ser comprometidas em um futuro breve.

 “Hoje temos condições para atender todos, mas não recebemos apenas pacientes de Araxá, as cidades da região também precisam de nós. E esse crescente número de casos assusta muito. Portanto, nosso apelo é a pela vigilância e conscientização da população”, explica.

A forma mais eficaz de reverter esta tendência de aumento no número de casos é respeitar as medidas de higienização, distanciamento social, uso de máscaras e realizar a testagem sempre que tiver sintomas relacionados à doença.

Notícias relacionadas

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *