Dia Mundial de luta pelo Fim da violência contra mulheres

Dia Mundial de luta pelo Fim da violência contra mulheres

O dia 6 de dezembro de 1989 é lembrado em todo mundo pelo episódio conhecido por Massacre da Escola Politécnica de Montreal. Naquela data, na cidade de Montreal, Canadá, um homem armado invadiu e matou quatorze mulheres e feriu outras treze, todas elas estudantes daquela faculdade.

O massacre foi motivado por questões gênero (preconceito, discriminação e ódio doentio contra mulheres). O ocorrido tornou-se símbolo da violência contra as mulheres e inspirou a Campanha do Laço Branco, uma mobilização mundial de homens pelo fim da violência contra as mulheres.

No Brasil, a partir de 2007, foi instituído o dia 6 de dezembro como Dia Nacional de Mobilização dos Homens pelo Fim da Violência contra as Mulheres (Lei nº 11.489/2007).

Em Araxá várias instituições governamentais e não governamentais desenvolvem um trabalho denominado Agenda Comum Intersetorial, constituído por ações de caráter preventivo e educativo, realizadas durante todo o ano, focadas em quatro eixos:

– Prevenção do uso e abuso de Álcool e outras Drogas;

– Segurança no Trânsito;

– Prevenção da Violência contra Mulher e da Violência Sexual contra Crianças e Adolescentes

– Proteção e Valorização da Pessoa Idosa.

Nos meses de novembro e dezembro deste ano as ações da Agenda estão associadas ao eixo Violência contra Mulher e concentraram-se nos 16 Dias de Ativismo pelo Fim da Violência contra as Mulheres, que também é uma campanha global, realizada no período de 20 de novembro (Dia da Consciência Negra) a 10 de dezembro (Dia Internacional dos Direitos Humanos).

Como órgão responsável pela promoção da segurança pública, o 37º Batalhão da Polícia Militar aderiu a Campanha do Laço Branco e manifesta, nesta data de tanto significado histórico, o seu incondicional apoio no enfrentamento da violência contra as mulheres e o compromisso de continuar lutando pelas causas sociais, sempre com respeito aos direitos humanos e com participação da sociedade.

Notícias relacionadas

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *