Super banner
Super banner

Fárley convoca bairros para debater sobre taxa de esgoto cobrada na cidade

Fárley convoca bairros para debater sobre taxa de esgoto cobrada na cidade

Vereador Fárley

Terceiro orador da tarde, o vereador Fárley Cabeleireiro (PT) abriu seu pronunciamento destacando requerimento à Mesa Diretora solicitando a constituição de uma Comissão Especial composta por vereadores no sentido de debater com a Casa Legislativa e elaborar as medidas que a população de Araxá deverá tomar no que tange à cobrança abusiva da taxa de esgoto, como suspensão e rescisão do contrato com a Copasa.

Ele destacou que tal comissão será instalada com trabalhos efetivos em todos os bairros da cidade, objetivando o debate e elaboração da Casa Legislativa com a população, com a finalidade de impedir e paralisar a cobrança da taxa de esgoto da forma como vem sendo cobrada, ou até mesmo a suspensão e rescisão do contrato com a Copasa.

Dentro dessa linha, Fárley apresentou outro requerimento solicitando a convocação de sua autoria para todos os presidentes de Associações de Bairros de Araxá para uma reunião que será promovida na próxima segunda-feira, dia 11 de novembro, a partir das 19h, no Plenário da antiga Câmara Municipal (Museu Legislativo), que vai tratar sobre apreciação e verificação da tarifa de esgoto cobrada pela empresa Copasa, quando será apresentada cópia da documentação encaminhada para análise do Ministério Público.

No entendimento do vereador, já está mais que comprovado que a cobrança da taxa foi antecipada, é irregular e sem parâmetro legal, ferindo inclusive o Código de Defesa do Consumidor.

“Buscaremos juntamente com todos os bairros de Araxá, através de seus presidentes, postura mais pontual e enérgica por parte do Ministério Público, que desde março de 2013 instaurou inquérito a nosso pedido, solicitou respostas da concessionária Copasa, que respondeu apenas ganhando tempo, e continuando a sacrificar mais 40 mil residências ou pais de família em nossa cidade”, acrescentou o vereador.

Ele ressaltou ainda que a taxa mínima vem sendo cobrada mesmo em residências fechadas, além de fazer agradecimento ao vereador Roberto do Sindicato (SDD) porque na época em que o contrato entre o Município e a Copasa foi aprovado, Roberto foi o único vereador a votar contra esta iniciativa e também foi quem deu acesso à ata que registrou a implantação desse serviço na cidade.

Notícias relacionadas