Super banner
Super banner

Filarmônica de Minas Gerais e CBMM lançam intercâmbio para professores de música

Filarmônica de Minas Gerais e CBMM lançam intercâmbio para professores de música
Foto: Daniela Paoliello

Com o intuito de levar oportunidades e aprimoramento a professores de música de Araxá, a Orquestra Filarmônica de Minas Gerais, em parceria com a CBMM, realizou oficinas e aulas a distância, individuais e coletivas, para 10 professores da Escola Municipal de Música Maestro Elias Porfírio de Azevedo. As atividades serão ministradas por músicos e musicistas da Filarmônica de Minas Gerais, uma das melhores orquestras do País, entre os dias 24 e 28 de maio de 2021. Todas as atividades foram no formato online.

Foram realizadas uma oficina em regência e outras seis de prática instrumental. Nas oficinas, aulas gerais sobre interpretação e leitura musical, harmonia, improvisação e desenvolvimento profissional, bem como aulas específicas de instrumentos como violoncelo, flauta, percussão, violino, piano e clarinete, abordando técnicas de respiração e afinação, postura e outras questões necessárias à prática dos instrumentos.

Este intercâmbio que envolveu a música e a educação pretende estreitar os laços entre a Filarmônica de Minas Gerais e a Escola Municipal de Música Maestro Elias Porfírio de Azevedo, de modo a contribuir para a formação dos professores. A ação vai ao encontro dos anseios dos mestres, que desejam aprimorar seu trabalho continuamente. “A parceria com a CBMM se fortalece ainda mais com esta importante ação no campo da educação musical.”, destaca Diomar Silveira, Diretor Presidente do Instituto Cultural Filarmônica.

“Ficamos muito felizes em poder ajudar a conectar grandes referencias e projetos nacionais e internacionais com Araxá”, afirma Giuliano Michel Fernandes, gerente de Marketing e Comunicação na CBMM. “Ter o apoio da Filarmônica no desenvolvimento de novos músicos araxaenses é um grande marco e algo muito relevante para o desenvolvimento da produção cultural de excelência na região”, completa Giuliano.
Este projeto é apresentado pelo Ministério do Turismo, Governo de Minas Gerais e CBMM, por meio da Lei Federal de Incentivo à Cultura. Realização: Instituto Cultural Filarmônica, Secretaria Estadual de Cultura e Turismo de MG, Governo do Estado de Minas Gerais, Secretaria Especial da Cultura, Ministério do Turismo e Governo Federal. Apoio: Programa Amigos da Filarmônica.

Sobre a Filarmônica de Minas Gerais 
A Orquestra Filarmônica de Minas Gerais foi fundada em 2008 e tornou-se referência no Brasil e no mundo por sua excelência artística e vigorosa programação. Conduzida pelo seu Diretor Artístico e Regente Titular, Fabio Mechetti, a Orquestra é composta por 90 músicos de todas as partes do Brasil, Europa, Ásia e das Américas. O grupo recebeu numerosos menções e prêmios, entre eles o Grande Prêmio da Revista CONCERTO em 2020 e 2015, o Prêmio Carlos Gomes de Melhor Orquestra Brasileira em 2012 e o Prêmio da Associação Paulista dos Críticos de Artes (APCA) em 2010 como o Melhor Grupo de Música Clássica do Ano. O CD Almeida Prado – obras para piano e orquestra, com Fabio Mechetti e Sonia Rubinsky, lançado em 2020 pelo selo internacional Naxos em parceria com o Itamaraty, foi indicado ao Grammy Latino 2020. A recente premiação dada pela Revista Concerto teve como tema “Reinvenção na Pandemia” e destacou as transmissões ao vivo de concertos realizadas pela Filarmônica em 2020, em sua Maratona Beethoven, e ações educacionais como a Academia Virtual.

Suas apresentações regulares acontecem na Sala Minas Gerais, em Belo Horizonte, em cinco séries de assinatura em que são interpretadas grandes obras do repertório sinfônico, com convidados de destaque no cenário da música orquestral. Tendo a aproximação com novos ouvintes como um de seus nortes artísticos, a Orquestra também traz à cidade uma sólida programação gratuita – são os Concertos para a Juventude, os Clássicos na Praça, os Concertos de Câmara e os concertos de encerramento do Festival Tinta Fresca e do Laboratório de Regência. Para as crianças e adolescentes, a Filarmônica dedica os Concertos Didáticos, em que mostra os primeiros passos para apreciar a música de concerto. Além disso, desde 2008, várias cidades receberam a Orquestra, de Norte a Sul, passando também pelas regiões Leste, Alto Paranaíba, Central e Triângulo.

A Orquestra possui 9 álbuns gravados, entre eles dois que integram o projeto Brasil em Concerto, do selo internacional Naxos junto ao Itamaraty, com obras dos compositores brasileiros Alberto Nepomuceno e Almeida Prado. O álbum de Almeida Prado, lançado em 2020, foi indicado ao Grammy Latino de melhor gravação de música erudita. A Sala Minas Gerais, sede da Orquestra, foi inaugurada em 2015, em Belo Horizonte, tornando-se referência pelo seu projeto arquitetônico e acústico e uma das principais salas de concertos da América Latina. A Filarmônica de Minas Gerais é uma das iniciativas culturais mais bem-sucedidas do país. Juntas, Sala Minas Gerais e Orquestra vêm transformando a capital mineira em polo da música sinfônica nacional e internacional, com reflexos positivos em outras áreas, como, por exemplo, turismo e relações de comércio internacional.

Programas educacionais 
Os Concertos para a Juventude, realizados em manhãs de domingo, são dedicados à família e à formação de público. Ao desvendar o universo orquestral, a série aproxima público e música. As apresentações são gratuitas.

Os Concertos Didáticos são dedicados a crianças e adolescentes do ensino fundamental e médio e a instituições sociais. Para o melhor aproveitamento do concerto, os alunos são preparados em suas salas de aula por monitores da Escola de Música da Universidade do Estado de Minas Gerais (UEMG). 

O Festival Tinta Fresca destina-se ao fomento da criação musical sinfônica entre jovens compositores brasileiros. Com inscrições provenientes de todo o país, um júri, formado por compositores renomados, é responsável pela seleção das peças. Feito isso, Orquestra e criadores dão início ao processo de transformação de partituras em músicas, que, ao fim, são reveladas em concerto gratuito aberto ao público. 

O Laboratório de Regência reúne, a cada ano, 15 jovens regentes vindos de todo o país, em busca do aprimoramento de seus talentos. Eles recebem orientação do regente titular da Filarmônica, Fabio Mechetti, e, ao final de uma semana de aulas técnicas e teóricas, quatro deles conduzem a Orquestra em concerto gratuito aberto ao público. 

Os Concertos de Câmara da Filarmônica buscam criar um contato mais próximo com grupos de instrumentos da Orquestra – cordas, madeiras, metais e percussão –, aprofundar a percepção sobre a diversidade de timbres, assim como promover diálogo estreito entre público e músicos. 

Os Concertos Comentados são palestras de 30 minutos conduzidas por diferentes profissionais sobre aspectos do repertório dos concertos das séries Presto, Veloce, Allegro e Vivace. Dirigidas, presencialmente, ao público desses concertos, as palestras são gravadas em áudio e ficam disponíveis no site da Orquestra.

Sobre a CBMM
Líder mundial na produção e comercialização de produtos de Nióbio, a CBMM possui mais de 400 clientes, em 40 países. Sediada no Brasil, com escritórios e subsidiárias na China, Países Baixos, Singapura, Suíça e Estados Unidos, a companhia fornece produtos e tecnologia de ponta aos setores de infraestrutura, mobilidade, aeroespacial e energia. Fundada em 1955, em Araxá, Minas Gerais, a CBMM conta com um programa de tecnologia que amplia as aplicações do Nióbio e contribui para o crescimento e diversificação deste mercado. Em 2019, a companhia investiu na 2DM, empresa com sede em Singapura, dedicada à produção de Grafeno.

Notícias relacionadas

Inscreva-se
Me avise:
guest
0 Comentários
Comentários em linha
Mostrar todos os comentários
0
Deixe seu comentário para essa notícia!x