Super banner
Super banner

Fundação Cultural se consolida como nova casa do Festival de Gastronomia

Fundação Cultural se consolida como nova casa do Festival de Gastronomia

Festival Internacional de Cultura e Gastronomia de Araxá 2012 - Divulgação

Da Redação/Via Ascom – Vinte e dois shows de música instrumental de jazz, blues, choro, bossa e o estilo típico das big bands; quatro apresentações de dança, mostra de artes plásticas com paineis especificamente encomendados para retratarem o “Terrois de Araxá”, uma degustação de vinhos e duas de cervejas especiais, oito oficinas gastronômicas e três festins comandados pelos três mais significativos chefs franceses com atuação no Brasil – Laurent Suaudeu, Eric Jacquin e Claude Troisgros.

De acordo com os organizadores Armando de Angelis e Juninho Lemos, o balanço do Festival Internacional de Cultura e Gastronomia de Araxá 2012 foi extremamente positivo. Depois de quatro anos de atuação no Grande Hotel do Barreiro, a Fundação Cultural Calmon Barreto (FCCB) se consolidou como a nova casa do festival. Mais intimista e aconchegante, a representatividade histórica e a beleza rara da Fundação se mostrou em sintonia com o formato do evento.

Prova disso foi a presença maciça do público. Entre os dias 21 e 24 de Junho, cerca de 10 mil pessoas circularam pela fundação. Além dos moradores de Araxá e de cidades vizinhas como Uberlândia, Uberaba e Patos de Minas, o festival também recebeu turistas provenientes de São Paulo e região Norte do Estado, Belo Horizonte, Brasília, Curitiba, Rio de Janeiro e até do exterior – Colômbia, Inglaterra e Estados Unidos.

No festival, o público pôde conferir uma grande estrutura com palco e camarins, tenda central com mesas e tendas gastronômicas – com choperia, cervejaria, coqueteleria de cachaça, creperia, restaurantes de comida portuguesa, baiana e mineira, além do Clube da Cozinha de Araxá -, Espaço Gourmet com restaurante italiano, wine bar, além de uma cafeteria, uma doceria com produtos de Araxá e um Pub com chopes e cervejas especiais.

Para dar ainda mais charme ao local, foi montada uma réplica de um coreto, onde músicos recepcionavam o público no início da noite e promoviam as saideiras musicais ao fim da programação.

Além do público presente, 120 pessoas trabalharam na montagem da estrutura, nos bares e restaurantes, na limpeza e segurança e que, somados aos 125 artistas, músicos, chefs, ajudantes, auxiliares de cozinha e técnicos, totalizaram 245 empregos diretos gerados durante o festival. Além disso, pessoas de todas as partes do mundo puderam acompanhar de perto programação por meio da ampla cobertura com fotos e vídeos pelo site do festival e pelas redes sociais.

Notícias relacionadas