Super banner
Super banner

Hospital Casa do Caminho encerrará atividades

Hospital Casa do Caminho encerrará atividades

O fundador da Casa do Caminho, José Tadeu Silva, anunciou oficialmente que o hospital da Casa do Caminho vai encerrar suas atividades a partir da próxima quarta-feira, 30, por falta de recursos. Em entrevista coletiva concedida à imprensa, Tadeu declarou que já comunicou à todos os órgãos competentes o fim das atividades de clínica médica, clinica cirúrgica e da Unidade de Terapia Intensiva (UTI). “Oferecemos à prefeitura a municipalização desses atendimentos médicos – hospitalares e o prefeito disse que não tem interesse em hospital. A CBMM também não interesse de tapar buraco de hospital e manter a saúde da cidade. Essa não é a política da empresa.” A entidade manterá apenas atendimento de longa permanência, hospital psiquiátrico e fisioterapia.

A Casa do Caminho fechará 2015 com uma dívida de R$ 2,1 milhões e um déficit mensal de cerca de R$ 500 mil. “A CBMM fez uma doação recentemente de R$ 1 milhão e vamos utilizar esses recursos para quitar os débitos trabalhistas e algumas dividas. Os R$ 580 mil anunciados pelo Governo do Estado ainda não chegou, por enquanto, são só palavras, Não existe nada no papel. E agora vamos ver com o deputado Bosco como ficará esses recursos. De qualquer forma, essa verba não é suficiente para manter as atividades médicos hospitalares. Temos quatro meses que não pagamos médicos. Vamos pagar, mas ainda não temos uma data estipulada. Se adiarmos o encerramento dessas atividades, chegaríamos em março de 2016 devendo cerca de R$ 6 milhões”, destaca Tadeu.

O fundador explica que a única solução seria o município cobrir o déficit mensal de R$ 500 mil para que as atividades médicos – hospitalares não seja encerrada. “Essa é a única coisa que poderia ser feito. Não adianta chegar R$ 580 mil do Governo Estadual agora. Esse recurso não paga nem mesmo as minhas dividas. E sabemos que o município não tem interesse de pagar esse débito mensal. Tenho certeza que não haverá solução, inclusive já realizamos todos os trâmites legais para encerrar as atividades médicos – hospitalares. Nós da Casa do Caminho não servimos para dever. É uma tortura. Esse fim de ano tem sido muito difícil.”, ressalta.

Tadeu diz que dizer que existe uma má gestão da Casa do Caminho é uma calúnia. “A Casa do Caminho apresenta documentos, dados e informações no papel. A CBMM é uma empresa que acompanhou todo esse processo. Tentamos reduzir os atendimentos, buscamos recursos, mas não temos mais condições. Quem fala que existe uma má administração financeira está cometendo uma calúnia. Quem quiser vem aqui no hospital. É só pedir que apresentamos todos os dados e gastos que temos. As pessoas não sabem qual o gasto de um hospital. Não existe equilíbrio financeiro em hospital. Se continuar, vamos ficar muito mais endividados.”

“É bom deixar claro que a Casa do Caminho não vai fechar. Vamos manter atendimento de longa permanência, hospital psiquiátrico, que é um atendimento que não existe na região, e a fisioterapia. O que encerramos são os atendimentos clínica médica, clinica cirúrgica e da Unidade de Terapia Intensiva (UTI). A expectativa é de demitir cerca de 90 funcionários nesse momento e mais 30 colaboradores em uma segunda etapa. Não vamos demitir todos agora, porque não temos dinheiro. Todos os setores serão enxugados”, informa Tadeu.

Fonte: Araxá na Moral

Notícias relacionadas

Inscreva-se
Me avise:
guest
1 Comentário
Novos
Antigos Mais votados
Comentários em linha
Mostrar todos os comentários
1
0
Deixe seu comentário para essa notícia!x