Suporte durante a amamentação é essencial para a mãe e para o bebê

Suporte durante a amamentação é essencial para a mãe e para o bebê

A autônoma Rafaela de Paula Borges Larquer nunca teve dúvidas sobre o benefício da amamentação para o seu bebê. Quando sua última filha, a Sofia, nasceu ela começou a oferecer o leite materno pouco depois do parto, mas não esconde que teve dúvidas e alguns desafios. “Os meus peitos todos pedrados, a menina não mamava direito. Eu achando que estava colocando ela para mamar do jeito correto, mas não estava. A pega dela estava errada. Daí já tinha machucado todo o meu bico, estava sangrando, peito inchado, febre…”, relembra.

Para a enfermeira da Unimed Araxá, Aline Menezes Maneira, este tipo de situação é comum e merece o acompanhamento de perto de profissionais especializados. “É importante vencer esse desafio da fase de adaptação porque depois o ato de amamentar se torna extremamente prazeroso para mãe e filho e traz diversos benefícios para os dois no âmbito físico e emocional”, ressalta.

A Organização Mundial da Saúde (OMS) recomenda o aleitamento materno por dois anos ou mais. Há ainda um consenso de que a prática exclusiva é essencial para a criança nos seis primeiros meses de vida. A boa notícia é que, segundo o Estudo Nacional de Alimentação e Nutrição Infantil do Ministério da Saúde, isso tem ocorrido de forma mais frequente. Mais da metade das crianças brasileiras são amamentadas no primeiro ano de vida e 45,7% das menores de seis meses recebem somente leite materno como alimento.

Amamentar promove a melhora nutricional do bebê, aumenta os efeitos protetores contra infecções mais comuns e ainda minimiza o risco de alergias e obesidade nas crianças. Para a mãe também há uma série de vantagens. “É comprovada, por exemplo, no caso da prevenção do câncer de mama”, explica Aline.

O que pode acontecer?
A enfermeira Aline Menezes afirma ainda que as intercorrências podem incluir a mastite, dor mamária, infecção fúngica, obstrução de ducto, além das alterações no mamilo. “A mais comum são as fissuras mamárias devido às pegas incorretas do bebê”, ressalta.

A avaliação médica, que indicará intervenções precoces é essencial. Além dela também são necessárias orientações preventivas. É exatamente o que a Unimed Araxá oferece no Espaço Viver Bem. “As mães fazem uma inscrição e podem começar a participar do nosso curso de gestantes a partir do primeiro trimestre de gravidez. São quatro encontros semanais de duas horas e meia cada um. Nós temos também um número de whatsapp e nosssos telefones estão sempre à disposição”, explica Clélia Christine Bresciani Grabowski, enfermeira e coordenadora do Espaço Viver Bem da Unimed Araxá.

Os cuidados continuam quando o bebê nasce. “As mães recebem uma visita no hospital e têm as primeiras orientações. Daí já é agendada uma visita domiciliar até 72 horas após o parto. Nessa visita são esclarecidas todas as dúvidas. Ela chega a durar até duas horas. Se for necessário, há um retorno e a gente segue à disposição pelo telefone e com uma sala exclusiva para atender as mães”, ressalta.

A Rafaela teve todo este suporte nas duas gravidezes. Algo que foi essencial, segundo ela. “Sempre quis muito amamentar. Com este suporte a gente se sente melhor e fica tranquila. É uma ajuda que vale muito!”, elogia.

Espaço Viver Bem
O Espaço Viver Bem integra os serviços oferecidos aos beneficiários da Unimed Araxá desde 2006. Nestes 15 anos o foco dos trabalhos é a medicina baseada em valor. “Abordamos o ser humano antes que a doença se instale. É assim que a gente ajuda o beneficiário a ter mais saúde, mais qualidade de vida, a praticar o autocuidado para que ele tenha mais tempo de vida com qualidade”, diz Clélia.

Entre os programas oferecidos estão o atendimento domiciliar, gerenciamento de risco cardiovascular, atenção à saúde da gestante e bebê, saúde nas empresas, saúde da mulher, intervenções domiciliares (medicações e procedimentos), sala de vacinas e dispensação de medicamentos do ROL/ANS. A equipe conta com médico, enfermeiros, técnicos em enfermagem, fisioterapeutas, fonoaudióloga, psicólogas, nutricionista, educador físico, auxiliar administrativo, além de professores de artesanato.

Unimed Araxá
A Unimed Araxá atua na região há 32 anos. Tem atualmente 200 médicos cooperados das mais diversas especialidades, com aproximadamente 25 mil clientes, 650 empresas contratantes nas cidades de Araxá, Ibiá, Campos Altos, Perdizes, Pedrinópolis, Tapira e Pratinha, além de atender cerca de 15 mil beneficiários de intercâmbio. 

Desde 2017 a Unimed Araxá tem seu hospital próprio, que conta com o que há de mais moderno e eficiente na área e que também integra um Centro de Diagnóstico por Imagens e um moderno laboratório de análises clínicas. Mais recentemente inaugurou sua Clínica Multidisciplinar que tem atendimento exclusivo de profissionais como psicólogos, nutricionistas, terapeutas ocupacionais e fonoaudiólogos. Junto ao prédio central, oferece ainda equipe integrada e programas de saúde voltados à melhoria de qualidade de vida, promoção da saúde e prevenção de doenças no Espaço Viver Bem.

A rede credenciada de serviços é composta ainda por seis hospitais, 15 laboratórios, 33 clínicas, além de aproximadamente 300 colaboradores de forma direta. 

Notícias relacionadas

1 Comentário

  1. Mariana

    Podia funcionar! Quando ganhei bebê, ninguém foi me visitar em casa e eu liguei pedindo suporte para amamentar e a enfermeira me mandou procurar o FAMA!

    Responder

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *