Super banner
Super banner
Super banner

Transformação do Cefet-MG não prejudica cursos técnicos

Transformação do Cefet-MG não prejudica cursos técnicos

Foto: Alair Vieira

Caso a demanda de transformação do Centro Federal de Educação Tecnológica de Minas Ferais (Cefet-MG) em Universidade Tecnológica se cumpra, seus cursos técnicos não serão prejudicados. Esse esclarecimento foi feito pelo diretor-geral da instituição no Estado, Márcio Silva Basílio, durante audiência pública da Comissão de Educação, Ciência e Tecnologia da Assembleia Legislativa de Minas Gerais (ALMG), realizada nesta quinta-feira (31/10/13), em Divinópolis (Centro-Oeste de Minas). A reunião, realizada no Auditório da Secretaria Municipal de Saúde (Semusa), teve como objetivo debater e apoiar esse projeto de transformação.

Alunos da instituição presentes à audiência demonstraram preocupação em relação à redução dos cursos técnicos, tradição do Cefet-MG, se houver a mudança para Universidade Tecnológica. Apesar disso, manifestaram apoio à transformação, pois consideram que vai agregar qualidade à instituição. Para o estudante Igor Baldoíno Azevedo, a alteração será importante. Ele reforçou que se trata de um centro muito concorrido e que os alunos precisam se dedicar para fazer parte dele. Durante a reunião, os participantes puderam assinar um abaixo-assinado de apoio.

De acordo com o diretor-geral do Cefet-MG, o projeto da mudança decorre do potencial da instituição para ser uma Universidade Tecnológica. Basílio falou que essa demanda começou dentro da instituição, mas agora já é abraçada pelo Estado. “Esse apoio é muito importante”, salientou. Ele fez um histórico da instituição em Minas Gerais e afirmou que ela conta com 90% do corpo docente com mestrado e doutorado, número superior à exigência do Ministério da Educação para as universidades.

O diretor do Cefet-MG , Unidade Divinópolis, Luiz Carlos Gonçalves, ressaltou que a instituição não é contra os institutos federais, mas que acredita que a proposta da Universidade Tecnológica é mais adequada. “O Cefet quer ser uma universidade em Divinópolis. Temos o orgulho de ser a oitava melhor escola no Estado; só através da educação podemos ter a cidade sonhada”, enfatizou.

Autoridades ressaltam importância da demanda

O presidente da Câmara Municipal de Divinópolis, Rodyson Kristnamurti da Silva Oliveira, destacou que os vereadores de Divinópolis assinaram moção de apoio à transformação do Cefet em Universidade Tecnológica. “Queremos a valorização do Cefet por parte do governo federal”.

O vice-prefeito de Divinópolis, Rodrigo Resende, ressaltou a parceria entre a prefeitura e o Cefet. “Sabemos da sua importância. É um orgulho termos uma instituição com ótimo desempenho no Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb)”, completou.

Deputados demonstram apoio a projeto

A deputada Maria Tereza Lara (PT), vice-presidente da comissão, conduziu as discussões e contextualizou que já houve diversas reuniões sobre o tema. “Esse movimento é para reivindicar que, em Minas, ocorra essa mudança. A educação merece. Pudemos perceber que há unidade de objetivos entre professores, alunos, deputados”, salientou.

Segundo o deputado Bosco (PTdoB), autor do requerimento que deu origem à reunião, o entendimento é de que essa transformação é uma causa de Minas Gerais. Ele destacou a excelência da instituição e de seus professores, o que, para ele, justifica a mudança. “Com isso, haveria implantação de graduação, mestrado e doutorado. Sabemos que o Estado tem feito a diferença no País na área da educação, mas precisamos desenvolver mais pesquisas e novas tecnologias”, afirmou. O parlamentar também defendeu a continuidade do ensino técnico.

O deputado Fabiano Tolentino (PPS) ressaltou o crescimento do Cefet em Divinópolis e a importância da discussão. “O papel da Assembleia é sair de sua sede, ir às cidades e ouvir as demandas”, opinou. Para a deputada Luzia Ferreira (PPS), integrar educação, inovação e tecnologia é um desafio do País. “Essa é a grande mercadoria do mundo atualmente. O Brasil está atrasado. O recurso para a pesquisa no País é muito pequeno”, alertou. Ela acrescentou que a discussão sobre a transformação do Cefet se integra a essa perspectiva.

Já o deputado federal Jaime Martins (PSD/MG) encaminhou um depoimento, por meio de vídeo, exibido na reunião, para manifestar apoio à causa. Segundo ele, a mudança vai propiciar uma melhor educação aos alunos.

Audiências – Divinópolis foi a sexta cidade a receber audiência pública sobre o tema. Já foram realizadas reuniões em Araxá (Alto Paranaíba), Varginha (Sul de Minas), Leopoldina (Zona da Mata), Timóteo (Vale do Aço) e Nepomuceno (Sul de Minas). Além desses municípios, o Cefet-MG possui campi na Capital mineira, Contagem (Região Metropolitana de Belo Horizonte) e Curvelo (Região Central do Estado), que também receberão reuniões para a discussão.

Histórico – Em dezembro de 2008, o governo reestruturou a Rede Federal de Educação Profissional, Científica e Tecnológica, criando 38 institutos federais pela Lei 11.892. Antes disso, a discussão que vinha se desenrolando dizia respeito à transformação de alguns Cefets em Universidade Tecnológica, como foi feito no Paraná. No entanto, esse projeto foi interrompido. O Cefet-MG, por sua vez, manteve a demanda de se tornar uma universidade.

“A competência adquirida pelo Cefet-MG o posiciona, com o antigo Cefet-PR, hoje Universidade Tecnológica Federal do Paraná, na vanguarda da educação tecnológica do País, com atuação verticalizada, compreendida como não apenas a oferta desde o nível básico à pós-graduação stricto sensu, como também o diálogo permanente entre esses níveis”, defende o site do Cefet-MG.

Fonte: Assembleia de Minas

Notícias relacionadas