Anestesistas da Santa Casa pedem reajuste

Da Redação – Os anestesistas da Santa Casa estavam paralisados desde o dia 1º deste mês. Eles não atenderam cirurgias eletivas (agendadas) e só trabalharam em casos de urgência e emergência. Segundo a Secretaria Municipal de Saúde, a classe encaminhou uma carta ao hospital informando a interrupção do serviço e pedindo uma negociação de salário. Na tarde de ontem (12), o diretor administrativo e financeiro da Santa Casa, Adair Silva, e a secretária Patrícia Auxiliadora da Silva, se reuniram com os médicos.

De acordo com Patrícia, as reivindicações foram colocadas na mesa e os anestesistas já voltaram a trabalhar. A secretária espera que as duas partes cheguem a um consenso até a próxima sexta-feira (15). Os profissionais pediram um reajuste de cerca de 30% nos plantões médicos. A partir de agora, município e hospital estão analisando a proposta para que não haja novos problemas.

Em 12 dias de paralisação, 20 cirurgias deixaram de ser feitas. Patrícia afirma que os pacientes prejudicados serão avisados sobre a nova data para a realização das operações.

Entre os pacientes, o caso de uma dona de casa, que teve a cirurgia marcada no último dia 6. Ela chegou a ser internada às 6h, fez todo o pré-operatório e só depois, por volta das 10h, foi avisada que não tinha anestesista para a realização do procedimento. Ela esperava pela cirurgia de retirada de útero há cinco meses e agora guarda a remarcação.  

Se o reajuste de 30% for dado aos anestesistas eles passam a receber, pelos plantões, de uma média de R$ 22 mil a aproximadamente R$ 28 mil. Além dos plantões, segundo a secretaria de Saúde, eles também recebem por cada procedimento (parte do município e parte do SUS).

A reportagem do Diário de Araxá tentou entrar em contato com o porta-voz dos anestesistas, mas até o fechamento desta matéria não teve retorno.

Notícias relacionadas