Araxaense José Otávio Lemos é homenageado na Índia

Araxaense José Otávio Lemos é homenageado na Índia

Convidado especial da ONG Ankush, com sede em Hyderabad, o araxaense José Otávio Lemos, zootecnista, artista multimídia, membro da Academia de Letras do Triângulo Mineiro e conselheiro técnico da Associação Brasileira dos Criadores de Zebu esteve uma viagem com muitos compromissos na agenda proposta para 15 dias na terra de Gandhi.

Ele percorreu 8.000 Km por 6 estados da Índia: Telangara, Andhra Pradesh, Tamil Nadú, Hariana, Gujarati e Maharastra.

Por lá recolheu material que será usado na Enciclopédia Kamadhenu, com dois volumes somando 1.104 páginas e versando sobre um assunto que o mesmo é especialista, o gado Zebu, que tem o alicerce genético, origem, na Índia.

Em vários lugares, especialmente centros universitários e nos principais espaços políticos indianos, apresentações dos livros que José Otávio escreveu sobre as diferentes raças zebuínas e que foram publicados em em três idiomas (português, inglês e espanhol); sendo que alguns deles já fazem parte da bibliografia utilizada em cursos de veterinária e zootecnia daquele país. O próprio Ministro da Agricultura da Índia, Rahda Mohan Singh, fez questão de receber o autor , sempre acompanhado por Venugopal B., voluntário da ONG Ankush, que tem um excelente trabalho em prol da manutenção e aprimoramento das raças zebuínas.

José Otávio Lemos recebeu duas importantes homenagens

A primeira, em Sevagran, vilarejo onde viveu e morreu Mahatma Gandhi, no município de Wadra, onde um centro memorial está instalado e que recebe visitantes de todo o mundo. Ele apresentou uma conferência na sala onde foram realizados encontros para a paz mundial desde 1949. O título da mesma: “A melhoria em quantidade e qualidade de alimentos com o uso de reprodutores aprimorados geneticamente”. Ele foi o único estrangeiro a fazer isso até hoje naquele lugar e lhe foi concedida uma honraria pelo trabalho que vem desenvolvendo no campo da zootecnia pelos últimos 30 anos.

Depois, no Templo da Deusa Saravasti, com 5.000 anos, às margens do Rio Godavari, a segunda homenagem.

Sarasvati é a deusa hindu da sabedoria, das artes e da música e a shákti, que significa ao mesmo tempo poder e esposa, de Brahma, o criador do mundo.

É a protetora dos artesãos, pintores, músicos, atores, escritores e artistas em geral. Ela também protege aqueles que buscam conhecimento, os estudantes, os professores, e tudo relacionado à eloquência, sendo representada como uma mulher muito bela, de pele branca como o leite, e tocando sitara (um instrumento musical). Seus símbolos são um cisne e um lótus branco.

Esta cerimônia é anual e obedece o calendário lunar. Até então, nenhum outro estrangeiro tinha sido homenageado em uma solenidade semelhante. O próprio Shri Shri Shri Guruji fez a entrega da placa com dizeres em Telegu, língua oficial do estado de Telangara.

José Otávio também foi destaque nos jornais e rede de tv locais.

Notícias relacionadas

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *