Exportações do agronegócio de Minas são as maiores dos últimos 17 meses

Exportações do agronegócio de Minas são as maiores dos últimos 17 meses

As exportações do agronegócio mineiro em março somaram US$ 565,3 milhões e são as maiores dos últimos 17 meses. O valor negociado só fica atrás das exportações de setembro e outubro de 2008, quando as vendas foram de US$ 616 milhões e US$ 643,1 milhões, respectivamente.

Os números foram analisados pela Secretaria de Estado de Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Seapa), com base nos dados do Ministério de Indústria, Desenvolvimento e Comércio Exterior (MDIC).

Na comparação com março de 2009, quando Minas Gerais comercializou US$ 401,4 milhões, a evolução das vendas do agronegócio mineiro foi de 40,8%.

O café somou em março deste ano exportações de US$ 313,1 milhões, com variação positiva de 33,81% em relação à receita do mesmo período de 2009. Já no grupo soja, o aumento em março de 2010 foi de 29,66%, com a receita de US$ 27,5 milhões diante dos US$ 21,3 milhões registrados no mesmo mês de 2009. Nesse grupo, a soja em grão se destacou com evolução de 92,66%, um salto para US$ 16,2 milhões.

 Destacam-se também na comparação março/2010 e março/2009 as exportações de açúcar, com evolução de 274,72%, ou receita aproximada de US$ 63,7 milhões.

Madeiras e derivados tiveram um movimento 107,2% maior no terceiro mês deste ano, em relação ao mesmo período do ano passado, com movimentação de US$ 70,1 milhões.

No grupo carnes, a evolução foi de 6,17%, sendo o segmento de carne de frango o que apresentou melhor desempenho: aumento da receita em 20,07%, com a cifra de US$ 16,3 milhões na comparação com os US$ 13,8 milhões alcançados no terceiro mês do ano passado.

Exportações do trimestre crescem 24%

Os dados de março de 2010 deram uma contribuição expressiva para os resultados do primeiro trimestre deste ano. As exportações do agronegócio mineiro, no período, tiveram aumento de 24% na comparação com o primeiro trimestre de 2009. Foi registrada uma receita aproximada de US$ 1,5 bilhão em 2010, na comparação com a cifra de US$ 1,2 bilhão movimentada no ano anterior.

“A evolução dos preços no mercado internacional contribuiu de forma expressiva para a obtenção desse resultado, já que o volume dos embarques do agronegócio estadual no período evoluiu 3,47%, com a marca de 1,2 milhão de toneladas”, diz o secretário Gilman Viana Rodrigues.

O secretário destaca nas vendas internacionais do agronegócio mineiro os números do café, produto líder das exportações. A receita das vendas no primeiro trimestre de 2010 teve evolução aproximada de 20%, com registro de uma cifra de US$ 819,6 milhões.

Gilman Viana assinala ainda a evolução das exportações de açúcar. O aumento da receita com as vendas internacionais do produto foi de 73%, com a movimentação de US$ 164,0 milhões. 

“Também neste caso, a recuperação dos preços no mercado internacional também foi um fator importante. No período analisado, a cotação teve uma variação positiva de 54,2% em relação ao primeiro trimestre do ano passado, alcançando US$ 449,8 a tonelada. Isso explica o aumento expressivo da receita, apesar de o volume exportado ter registrado evolução pouco superior a 12%”, observa.

De acordo com o secretário, as exportações de açúcar do Brasil, e especialmente de Minas, ainda são beneficiadas pela retração da Índia no mercado internacional, registrada desde o ano passado.

 “A Índia ocupava o posto de terceiro maior produtor de açúcar do mundo, atrás do Brasil (21,7%) e do bloco que constitui a União Europeia (11,4%). A quebra da produção indiana comprometeu não só as exportações do país como o seu próprio abastecimento interno”, acrescenta Gilman Viana.

Já no grupo carnes, o destaque das exportações do primeiro trimestre foi para aves. As exportações nesse segmento alcançaram evolução de 44,3%, com a receita do acumulado de janeiro a março em US$ 45,7 milhões. O movimento do mesmo período de 2009 foi de US$ 31,7 milhões.

“É mais um caso em que também as exportações do Brasil, e especialmente de Minas, foram beneficiadas pela evolução das cotações no mercado internacional”, comenta o secretário. A tonelada de carne de frango teve preço médio de US$ 1,4 mil, contra a cotação de US$ 1,0 mil nos três primeiros meses do ano passado.

Com Agência Minas

Notícias relacionadas