IEF apresenta novas ferramentas para monitoramento das matas mineiras

IEF apresenta novas ferramentas para monitoramento das matas mineiras

O secretário de Estado de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável, José Carlos Carvalho apresentou nesta quarta-feira (30) o sistema de monitoramento contínuo em intervalo mensal da cobertura vegetal nativa do Estado de Minas Gerais. A ferramenta é baseada em imagens obtidas por satélites que permitirão o acompanhamento mensal do desmatamento. O trabalho foi iniciado em 2010 no Norte do Estado e será estendido para toda Minas Gerais.

A ferramenta foi desenvolvida pelo Instituto Estadual de Florestas (IEF) em parceria com a Universidade Federal de Lavras (Ufla) para aperfeiçoar os mecanismos de monitoramento, fiscalização e conservação dos remanescentes dos três biomas encontrados em Minas Gerais: Mata Atlântica, Caatinga e Cerrado.

Os resultados serão a base para orientar o planejamento do trabalho das equipes de fiscalização do Sistema Estadual de Meio Ambiente e Recursos Hídricos (Sisema).

No período entre os meses de junho de 2008 e junho de 2009, os estudos do IEF e da Ufla indicam que houve supressão de 30.687 hectares. Na região da Mata Atlântica, os dados indicam a supressão de 12.100 hectares nos municípios de ocorrência do bioma no mesmo período.

O vice-reitor da Ufla, José Roberto Scolforo, informa que os dados finais sobre a cobertura vegetal do Estado relativos aos anos de 2007 e 2008 serão divulgados em setembro quando será publicado o Mapa da Cobertura Vegetal Nativa de Minas Gerais.

“Com a melhora na qualidade das imagens disponíveis e maior periodicidade no envio e disponibilização dessas informações, será possível ao IEF e aos demais órgãos se mobilizarem com maior velocidade para combater as ações de desmatamento com mais eficiência”, analisou o vice-reitor da Universidade Federal de Lavras, José Scolforo.

José Carlos observa que a disponibilização dos dados na internet é uma iniciativa pioneira no país. “O monitoramento contínuo estará disponível na internet com periodicidade mensal permitindo o acompanhamento do que estiver acontecendo em Minas”, afirma. “A ferramenta permitirá que a sociedade acompanhe passo a passo o que acontece, possibilitando que ela mesma suscite um ambiente de maior fiscalização”, diz o secretário.

 Ele ressalta que o Sisema desenvolve diversas ações para conter o desmatamento em todo o território mineiro e para promover a recuperação ambiental de áreas já degradadas.

O IEF tem como um dos focos da sua atuação a recuperação de áreas degradas por meio do plantio de espécies vegetais nativas do Estado de Minas Gerais. Entre os anos de 2007 e 2010 foram recuperados 37 mil hectares em todo o Estado.

Inventário Florestal

José Carlos também apresentou o Portal do Inventário Florestal que disponibilizará na internet o conteúdo do estudo publicado em 2008 que contém um detalhamento da cobertura vegetal de Minas Gerais.
Neste endereço, poderão ser acessadas as informações dos sete livros que compõem o Inventário Florestal de Minas Gerais e visualizar os dados com a situação nas diferentes regiões do Estado.

O sistema permite que mapas sejam exportados para diferentes extensões, o que possibilitará a quem atua na área ambiental e da produção utilizar os mapas no inventário florestal. O portal se baseia no conceito de visualização de dados geográficos via internet, por meio do próprio navegador. Todo o conteúdo do portal é de domínio público.

O Inventário Florestal do Estado de Minas Gerais reúne sete publicações que detalham a situação da cobertura vegetal nativa do Estado, bem como das florestas de produção. São eles: Monitoramento da Flora Nativa (2005 – 2007); Espécies Arbóreas da Flora Nativa; Equações de Volume, Peso de Matéria Seca e Carbono para Diferentes Fisionomias da Flora Nativa; Cerrado; Floresta Estacional Semidecídual e Ombrófila; Floresta Estacional Decidual; Monitoramento dos Reflorestamentos.

Com Agência Minas

Notícias relacionadas