Minas encerra safra de grãos com produção estável

Minas encerra safra de grãos com produção estável

Minas Gerais encerrou a safra 2008/2009 com uma colheita de 10,2 milhões de toneladas de grãos. Mesmo atravessando o período de crise financeira mundial, os números confirmam a estabilidade da produção do Estado, que teve um acréscimo de 0,1% em relação ao ano passado.

Já o Brasil apresentou uma queda de 6,8% na produção e fechou a safra com 134,3 milhões de toneladas. Entre os seis maiores estados produtores de grãos do país, Minas Gerais e Goiás foram os únicos que não apresentaram retração. Os números foram divulgados, nesta terça-feira (8), pela Companhia Nacional de Abastecimento (Conab).

Segundo o superintendente de Política e Economia Agrícola da Secretaria de Estado de Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Seapa), João Ricardo Albanez, a estabilidade da safra mineira é consequência do clima favorável nas principais regiões produtoras de Minas Gerais e do crescimento da produção de soja.

“As boas condições climáticas contribuíram para a manutenção da produtividade, numa safra em que os produtores tiveram dificuldades com o alto preço dos insumos e com os efeitos da crise mundial”, explica. A produtividade da safra mineira – relação entre a quantidade produzida e a área plantada – subiu 1% na comparação com a safra anterior.

A soja foi o destaque da produção mineira. Segundo grão mais cultivado no Estado, ela apresentou um crescimento de 5,4% na produção deste ano, com aumento de 5,1% da área cultivada. A safra estadual de soja foi encerrada com 2,6 milhões de toneladas. Já a produção nacional do grão apresentou queda de 4,9% e uma produção de 57,1 milhões de toneladas.

O feijão também apresentou crescimento da produção em Minas. Foram 578 mil toneladas. Uma alta de 2,1%. O Brasil, com uma produção 3,5 milhões de toneladas, registrou uma pequena retração de 0,5% em relação ao ano passado.

Já o milho, grão que ocupa a maior área cultivada no Estado, apresentou uma queda de 2,7% na produção. Foram 6,4 milhões de toneladas colhidas neste ano.

“Apesar do aumento de 1,5% na produtividade das lavouras, houve uma redução de 4,2% na área plantada nesta última safra”, explica Albanez. No Brasil, a redução da produção foi ainda maior. O país colheu um total de 50,1 milhões de toneladas, 14,6% a menos que na safra anterior.

“Todos os principais estados produtores de milho apresentaram queda na produção deste ano”, comenta o superintendente.

Notícias relacionadas