Postos de Saúde estão sem médicos e dentistas

Postos de Saúde estão sem médicos e dentistas

Os Postos de Saúde dos bairros Santa Luzia, Vila São Pedro, Ana Antônia, Alvorada (CSU – Centro Social Urbano) e Barreiro, além do antigo Ambulatório de Nefrologia, Hipertensão e Diabetes situado no bairro João Ribeiro, estão desde o início de janeiro sem atendimento médico e odontológico.

Com isso, os pacientes estão sendo encaminhados para a Uni (Unileste, Unisul, Uninorte e Unisa) mais próxima (os atendimentos especializados em nefrologia, hipertensão e diabetes foram direcionados para a Unisa, segundo a Secretaria Municipal de Saúde).

A coordenadora do Programa de Saúde da Família (PSF) em Araxá, Rejane Maria Bahia de Faria, explica que os postos do João Ribeiro, Santa Luzia, Vila São Pedro e Ana Antônia estão sendo transformados em PSFs e terão novamente atendimento médico; já os do Barreiro e CSU, que está com problemas estruturais apontados pela Vigilância Sanitária, não têm previsão para serem reativados.

Reclamação

A dona-de-casa Maria Teresa da Silva Inácio diz que o fechamento do ambulatório e a mudança dos atendimentos especializados para a Unisa é uma grande perda para os moradores do João Ribeiro.

“O ambulatório daqui nem completou um ano de inauguração (maio 2008) e quando ele funcionava o atendimento era bem mais rápido. Da marcação da consulta até a entrega da receita, demorava, no máximo, três dias. Lá na Unisa isso chega a demorar de duas a três semanas”, diz Maria Teresa, que tem problemas de hipertensão e diabetes.

O comerciante Orlando Gonçalves e a dona-de-casa Kátia Kellen Ferreira foram surpreendidos quando buscavam atendimento no Posto de Saúde do CSU.

“Eu nem sabia que aqui estava parado. A falta de médicos é muito ruim para os moradores do setor Norte. É a primeira vez que eu vejo o posto sem atendimento”, afirma Orlando, que precisava de um clínico geral.

“O meu filho de três meses está resfriado e com febre. Primeiro eu fui no PAM (Pronto Atendimento Municipal) e lá me falaram que ele poderia ser atendido por um pediatra aqui no posto do CSU. Agora eu chego e fico sabendo que nem pediatra tem. É um absurdo. O situação do meu filho pode até se agravar se eu não conseguir atendimento”, afirma Kátia, que foi procurar por pediatra na Unisa em sua terceira tentativa.

Previsão

Segundo Rejane, o funcionamento dos novos PSFs está previsto para o início de março. Ela diz que os postos, por enquanto, estão realizando atendimento de enfermagem (curativo, aferição de pressão, inalação e outros) “Os vinte novos agentes comunitários de saúde terminam a capacitação na próxima semana para trabalhem nos PSFs. Em março, eles começam o cadastramento dos pacientes para que eles recebam o atendimento médico nos antigos postos”, afirma a coordenadora.

Ela acrescenta que o objetivo do prefeito Jeová Moreira da Costa é que o município tenha 100% de cobertura do PSF, através do incentivo dos governos estadual e federal. “Com os novos PSFs, vamos passar de seis para dez unidades, ou seja, vamos aumentar a cobertura de 20% para 38%”, destaca Rejane.

Quais atendimentos eram oferecidos nos postos?

Vila São Pedro – pediatria, clínica geral e odontologia.

Ana Antônia – ginecologia, clínica geral e pediatria.

Santa Luzia – pediatria, clínica geral, psiquiatria, psicologia e odontologia.

CSU – pediatria, ginecologia, clínica geral e odontologia.

Barreiro – clínica geral e pediatria.

PSF

O PSF foi criado em 1994 e a sua proposta, segundo o Ministério da Saúde, é reorganizar a prática de atenção à saúde em novas bases e substituir o modelo tradicional, levando a saúde mais próximo da família e, com isso, melhorar a qualidade de vida dos brasileiros.

A sua estratégia é priorizar as ações de prevenção, promoção e recuperação da saúde das pessoas, de forma integral e contínua. O atendimento é prestado na unidade básica de saúde ou no domicílio pelos profissionais (médicos, enfermeiros, auxiliares de enfermagem e agentes comunitários de saúde) que compõem as equipes de Saúde da Família.

Notícias relacionadas