Seapa e Incra desenvolvem projetos em áreas de assentamento

Seapa e Incra desenvolvem projetos em áreas de assentamento

A Secretaria de Estado de Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Seapa) e o Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra) vão desenvolver trabalhos em conjunto com o objetivo de estimular as cadeias produtivas da cana-de-açúcar e do leite em projetos de assentamento mineiros. O Estado possui 15 mil famílias assentadas, distribuídas em 270 áreas de assentamentos.

De acordo com o convênio assinado entre as duas instituições, serão disponibilizados recursos de R$ 1 milhão para a execução dos trabalhos, que estão divididos em três metas: capacitação das famílias na produção e processamento de leite e derivados; compra de equipamentos para a estruturação de unidades de produção de derivados da cana-de-açúcar e monitoramento e gestão das atividades executadas dentro do convênio.

Segundo o secretário Elmiro Nascimento, a parceria entre as instituições é fundamental para viabilizar o acesso dos agricultores familiares às políticas públicas e ações governamentais voltadas para o desenvolvimento do setor produtivo. “Além de produzir, é necessário garantir também a agregação de valor à produção e a comercialização”, afirma.

Leite e cana

A pecuária de leite é uma das principais atividades geradoras de renda nos assentamentos de Minas Gerais. Mesmo quando há outras fontes, a bovinocultura de leite é parte importante da renda familiar e auxilia o custeio do conjunto de atividades agropecuárias da unidade familiar. Mas a atividade enfrenta problemas, como pouco acesso à informação, e baixa capacitação dos produtores.

Por isso o projeto está focado na realização de atividades voltadas à capacitação, à discussão das dificuldades, dos avanços e soluções na cadeia de produção do leite. Tais ações permitem ao assentado melhorar sua participação no mercado, por meio da cooperação e oferta de produtos de melhor qualidade e com maior valor agregado.

A cana-de-açúcar é outro produto de destaque na preferência dos agricultores, tanto pela sua associação com outras atividades como a produção de leite, como a possibilidade de produção e comercialização de vários produtos derivados, como rapadura, açúcar mascavo e cachaça.

Nos assentamentos selecionados, a compra de equipamentos e a estruturação de agroindústrias vão permitir maior aproveitamento da matéria-prima, a adoção de boas práticas na produção dos derivados, tendo como resultado produtos de maior qualidade e crescimento na renda da família.

Para o superintendente regional do Incra, Carlos Alberto Menezes de Calazans, a soma de esforços e a parceria com a Seapa é fundamental para a realização do trabalho, que vai atender as necessidades de um grupo considerado vulnerável no elo da cadeia produtiva.

VIA SEAPA

Notícias relacionadas