Sempre Um Papo e Circuito CBMM recebem Gregório Duvivier

Sempre Um Papo e Circuito CBMM recebem Gregório Duvivier

O Sempre Um Papo e o Circuito CBMM de Cultura recebem em Araxá o jornalista, cronista, escritor e integrante do canal humorístico Porta dos Fundos, Gregório Duvivier, para debate e lançamento de dois livros: “Ligue os Pontos – Poemas de Amor e Big Bang” (Ed. Companhia das Letras) e o livro “Porta dos Fundos” (Ed. Sextante), escrito também por Fábio Porchat e Gabriel Esteves. O evento ocorre nesta terça-feira (15), às 19h30, no Uniaraxá, com entrada gratuita.

“Ligue os Pontos – Poemas de Amor e Big Bang”

Um dos maiores responsáveis pelo sucesso do canal Porta dos Fundos, o ator e roteirista Gregorio Duvivier tem revelado grande habilidade em transformar a tragicomédia da vida contemporânea numa provocativa salada de gags que misturam absurdo e realidade. “Ligue os Pontos” mostra que, para além da prosa humorística, o tratamento lúdico das palavras pode render poesia de qualidade.

Refinada no curso de Letras da PUC-Rio – e elogiada por autoridades como Millôr Fernandes, Paulo Henriques Britto e Ferreira Gullar -, a escrita poética de Duvivier tem foco na importância descomunal dos momentos insignificantes do cotidiano. Flashes pungentes e irônicos da adolescência – o autor é um expoente da “geração do bug do milênio” -, o mistério da criação, as palavras e suas relações inusitadas, a experiência do amor vivido enfim como gente grande, a transitoriedade de tudo: tendo a geografia sentimental do Rio de Janeiro como pano de fundo, a constelação de poemas de “Ligue os Pontos” revela uma dicção marcadamente individual, que flerta, contudo, com o melhor da tradição carioca nonchalante, e extrai do dia a dia compartilhado imagens de desconcertante beleza.

“Porta dos Fundos”

Em apenas um ano, o canal de humor Porta dos Fundos já alcançou mais de 4,5 milhões de assinantes e teve mais 375 milhões de acessos. Os vídeos são comentados de norte a sul do país e compartilhados diariamente nas redes sociais.

O grupo definitivamente ganhou a simpatia dos brasileiros por aqui e no exterior. O sucesso é tanto que virou livro. Com prefácio de Luis Fernando Verissimo, “Porta dos Fundos” reúne 37 roteiros dos esquetes que estão na internet com fotos exclusivas e comentários dos autores, contando como surgiram as ideias por trás de cada vídeo. No início de cada capítulo, há um QR Code que leva diretamente ao vídeo no YouTube. Assim, os fãs do Porta dos Fundos descobrirão qual foi a inspiração de quem escreveu cada um dos roteiros, de onde vêm as ideias e tudo o que passa na cabeça de quem cria as histórias.

A ideia do vídeo mais acessado do grupo até o momento, por exemplo, nasceu porque Fábio Porchat nunca encontrou o seu nome em uma latinha de refrigerante. “Isso me fez pensar: se eu não encontro o meu nome, o que dirá a Brigite.” Foi o ponto de partida para brincar com nomes incomuns. Outro sucesso do canal, “Sobre a Mesa”, veio à mente de Antonio Tabet quando testemunhou um homem sendo grosseiro com a esposa em um restaurante. “Pensei no que aquela mulher gostaria de dizer para aquele crápula”, diz Tabet.

Já Gabriel Esteves, autor de “Término de Namoro”, conta que um erro do ator Rafael Infante durante a gravação acabou deixando o roteiro mais engraçado. E Gregorio Duvivier revela que o roteiro de “Entrevista” partiu de uma reunião durante a qual colegas do Porta dos Fundos comentavam sobre a tensão em dar algumas entrevistas.

No livro, os autores contam que se consideram perfeccionistas, que cada um dos textos presentes no livro foi reescrito pelo menos uma vez e que tomam enorme cuidado com cada novo vídeo que vai ao ar. Quando decidem que não está engraçado o suficiente, o trabalho vai para o lixo mesmo que já tenha sido produzido, filmado e editado. Portanto, tudo o que leva o nome do grupo passa por esse crivo e é defendido com unhas e dentes por cada um dos integrantes.

Gregorio Duvivier é sócio-fundador, ator e roteirista do Porta dos Fundos. Nasceu no dia 11 de abril de 1986, no Rio de Janeiro. Aos 9 anos, entrou no Tablado. Em 2003, estreou a peça Z.É. – Zenas Emprovisadas. Publicou, em 2009, o livro “A Partir de Amanhã eu Juro Que a Vida Vai Ser Agora” (7 Letras). Ganhou o prêmio APTR de Melhor Ator em 2013 pelo monólogo “Uma Noite na Lua”.

Notícias relacionadas