Super banner
Super banner

Governo vai atuar em retenções para garantir que caminhoneiros que quiserem possam seguir viagem

Governo vai atuar em retenções para garantir que caminhoneiros que quiserem possam seguir viagem

O governador Fernando Pimentel recebeu nesta terça-feira (29) no Palácio da Liberdade, em Belo Horizonte, representantes da Associação Comercial das Centrais de Abastecimento de Minas Gerais (Ceasa Minas), que vem enfrentando problemas com o desabastecimento de alimentos e produtos, em consequência da paralisação dos caminhoneiros.

Fernando Pimentel afirmou que o Governo do Estado vai atuar em cerca de 100 pontos para garantir que os caminhoneiros que queiram deixar a paralisação voltem ao trabalho em segurança.

“Identificamos 180 pontos de mobilização nas rodovias mineiras. Em 100 delas há algum tipo de abordagem para que os motoristas não deixem a paralisação. Vamos entrar nesses locais para garantir que quem quer sair, saia em segurança”, afirmou o governador, que realizou sobrevoo nos principais acessos à capital mineira para verificar as condições das estradas.

Para o coronel Fernando Arantes, coordenador do Gabinete de Crise instalado pelo governo para monitorar a situação do desabastecimento no Estado, a Polícia Militar não identificou pontos de bloqueio nas rodovias. “A estratégia agora é atuar para que o motorista não seja incentivado a parar, que aquele caminhoneiro que quiser fazer seu deslocamento possa fazer com tranquilidade, para a gente dar vazão a esses produtos que estão retidos. Já estamos no nono dia de paralisação e há casos em que os motoristas querem fazer a sua rotina normalmente”, assegurou.

Desabastecimento

Para o diretor-presidente da Associação Comercial da Ceasa, Emílio Brandi, a preocupação com o desabastecimento é grande e somente o fim das paralisações nas estradas poderá garantir a normalização do movimento na Ceasa. “Precisamos liberar as estradas para que a mercadoria consiga chegar ao seu destino. Temos problemas com desabastecimento de hortifrutigranjeiros e já constatamos falta de produtos em alguns estabelecimentos por conta dessa paralisação”, afirmou.

Também compareceram à reunião o secretário de Estado de Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Amarildo Kalil, o presidente da Emater, Glênio Martins, o prefeito de Contagem, Alex de Freitas, o secretário de Desenvolvimento Econômico de Contagem, Sant Clair Schmiett Terres e o deputado estadual Durval Ângelo.

Notícias relacionadas

Inscreva-se
Me avise:
guest
0 Comentários
Comentários em linha
Mostrar todos os comentários
0
Deixe seu comentário para essa notícia!x