Grupos de dança de Goiás e Minas vencem a 11ª edição do Dançaraxá

Grupos de dança de Goiás e Minas vencem a 11ª edição do Dançaraxá

A arte através do corpo. Foi isso que o público sentiu e viu no palco do Centro Cultural do Serviço Social do Comércio (Sesc) em Araxá, e no palco alternativo na Praça Governador Valadares. Em quatro dias de evento foram cerca de 300 apresentações de ballet, contemporâneo, jazz, estilo livre, hip hop, sapateado. Estilos diferentes que reuniram participantes de quatro Estados brasileiros mais o Distrito Federal.

Os espetáculos de companhias de dança renomadas foi outro ponto alto da edição 2011. Na sexta-feira (12) foi a vez da Cia de dança Sesiminas, com o espetáculo de tango ‘Rubro’, que retratou revolução dos anos 60.

No domingo os estilos ballet e contemporâneo foram apresentados grupo Pavilhão D, de São Paulo, com o espetáculo “Veja nos meus olhos”, e no último dia do evento o grupo Impacto, revelação mineira apresentou o espetáculo ‘Obstáculo’, com uma coreografia ousada diretamente da cidade de Viçosa.

“O nível e as coreografias este ano surpreenderam, em oito anos participando da competição, esse foi o melhor de todos, de todos os estilos”, diz um dos jurados, Octávio Nassur.

A cada dia de espetáculo, os grupos foram avaliados e receberam notas. Na noite de 15 de agosto a avaliação geral do Dançaraxá foi divulgada pelos jurados.

Melhor Escola – Mvsika (Goiânia)

Melhor Bailarina – Andressa Tavares – Energia Grupo de Dança (Goiânia)

Coreografia Revelação – ‘Hipnose’ – Energia Grupo de Dança (Goiânia)

Grupo Revelação – Empate com os grupos Arabesque (Araguari) e Escola Passos de Dança (Passos).

“Foi muito positivo este festival. Conseguimos trazer companhias de dança de alto nível, maior número de inscrições nas oficinas e grandes grupos competidores. A lei de incentivo a cultura enriqueceu e muito nosso evento. Já começamos a preparar o décimo segundo evento, que vem com mudanças e melhor ainda’, destaca Elaine Afonso Borges, uma das organizadoras do Dançaraxá.

O evento recebeu recursos da Lei de Incentivo à Cultura (Lei Rouanet), apoio da Secretaria Municipal de Desenvolvimento Econômico, Turismo e Parcerias e foi patrocinado pela Companhia Brasileira de Metalurgia e Mineração (CBMM).

Notícias relacionadas