Aumenta a procura pela vacina contra febre amarela em Araxá

Aumenta a procura pela vacina contra febre amarela em Araxá

As filas no Centro de Vacinação e Unidades de Saúde de Araxá cresceram consideravelmente nos últimos dias em busca da imunização contra a febre amarela. O motivo é a preocupação com as notificações recentes da doença em cidades mineiras. A enfermeira Renata Lima destacou que, para atender a demanda, o setor de Imunologia da Secretaria Municipal de Saúde tenta viabilizar mais lotes ainda neste mês de janeiro.

“Temos doses da vacina contra a febre amarela regularmente por ser uma imunização de rotina, mas devido aos casos nas cidades vizinhas a procura triplicou. Recebemos em média 800 doses por mês, mas em janeiro nosso estoque já está no fim. Já pedimos uma reposição, que acredito chegar nesta quinta-feira, 19, mas não sabemos a quantidade, pois a distribuição é para todo o Estado”.

A vacinação ocorre para crianças de nove meses, com reforço aos quatro anos. Adultos que viajarão para áreas de risco, mas não têm comprovação vacinal podem solicitar os cartões nos postos de saúde com apresentação de documentos pessoais. Já para idosos com mais de 60 anos é obrigatório apresentação de prescrição médica. São considerados imunes todos que já receberam duas doses da vacina.

“Pedimos para que as pessoas tenham paciência, pois não é campanha, mas a fila está imensa. É importante que tragam um documento de identificação e, menores de idade são atendidos somente com cartão de vacina e acompanhado do responsável”, reforçou a enfermeira.

Conscientização

Para quem está nas filas dos postos de vacinação, a preocupação é um sentimento em comum. Acostumado a viajar por cidades mineiras, o locutor de rodeio Pedro Henrique Barbosa Geraldo, de 16 anos, tomou a segunda e última dose da vacina. Ela atenta para a importância da prevenção. “Fiquei sabendo da vacinação pela minha mãe, que foi quem me trouxe. Eu viajo muito e vou a várias cidades que já tiveram casos de febre amarela, então acho mais importante tomar a vacina agora do que sofrer com essa doença”, disse.

A imunização contra a doença atraiu também quem nunca se vacinou. É o caso do operador de processos minerais Rubens Caetano, de 55 anos. Tomar ciência da crescente da febre amarela na região serviu de alerta. “Vai ser a primeira vez que vacino contra febre amarela. Fiquei sabendo que estava surgindo muitos casos e que começou a vacinação. Eu acho muito importante vacinar para manter tudo em controle”, destacou.

 Pontos e horários de vacinação:

– Centro de Vacinação: 8h às 16h30

– Unileste, Unisul e Uninorte: 7h às 12h

– Unisa: 11h às 17h

Notícias relacionadas

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *