Super banner
Super banner

Dança inclusiva para deficientes visuais

Dança inclusiva para deficientes visuais

Projeto vidança araxá

Da Redação/Isabella Lima – O Centro Educativo Louis Braille (Celb) e o Cak Centro de Danças lançaram nesta segunda-feira (20) o Projeto Vidança. Com apoio do Ministério da Cultura, o projeto vai trabalhar a expressão corporal e levar aos deficientes visuais o contato com a arte através da dança.

São quatro turmas com dez alunos de idades variadas. As aulas têm início na primeira semana de setembro. A diretora do Celb, Luzia Márcia Vieira, diz que o Vidança é um passo importante para a inclusão e para a vivência social integral do deficiente visual.

“As pessoas têm a ideia que a pessoa cega, no máximo lê braile, aprende a tocar violão. Não pensam que ela estuda, que ela forma, que ela movimenta. Para nós é um passo marcante porque em Minas Gerais eu nunca vi um balé de pessoas cegas.”

Idealizadora do projeto e diretora do Cak Centro de Danças, Polyana Ribeiro, explica que a relação da dança com a deficiência permite explorar habilidades físicas e culturais.

“Diferente das aulas de dança tradicionais, quando a professora faz o movimento e os alunos imitam, as aulas para os deficientes visuais serão através do toque.”

O Celb atende 45 pessoas e promove a educação inclusiva, alfabetização, habilitação, inserção escolar e social e encaminhamento profissional de pessoas com deficiência visual total ou parcial.

Notícias relacionadas